Search
  • Layup
  • Informação de bandeja sobre a NBA
Search Menu

Bill Willoughby, o homem que bloqueou Kareem Abdul-Jabbar

Bill Willoughby defendeu várias franquias, mas foi no Houston Rockets onde mais se destacou
Bill Willoughby defendeu várias franquias, mas foi no Houston Rockets onde mais se destacou

Ter bloqueado o arremesso mais indefensável na história da NBA poderia ter sido apenas um dos capítulos gloriosos na biografia de Bill Willoughby. Mas, por uma conjunção de vários fatores, inevitavelmente esse será o principal motivo pelo qual seu nome sempre será lembrado.

Sucesso no “high school” gerou atalho para NBA

Extremamente atlético e longilíneo, Bill Willoughby (2,03m) ganhou fama durante o ensino médio, em 1975. Defendendo a Dwight Morrow High School, em New Jersey, sua cidade natal, Willoughby registrou média de quase 40 pontos por partida atuando como pivô e despertou o interesse de franquias da NBA e da ABA.

No ano anterior, Moses Malone havia se tornado o primeiro jogador de destaque no ensino médio a desprezar o basquete universitário e se tornar profissional precocemente. O exemplo foi seguido em 1975 por Darryl Dawkins, selecionado pelo Philadelphia 76ers na 5ª escolha no draft, e o próprio Bill Willoughby, selecionado na 19ª escolha pelo Atlanta Hawks.

A motivação dos três jogadores para queimar uma etapa tão importante, não apenas na formação como jogador, foi o mesmo: dinheiro. Provenientes de famílias humildes, sempre convivendo com dificuldades financeiras, todos se viram tentados a aceitar os polpudos contratos do basquete profissional.

Contudo, essa opção não foi tão benéfica para Willoughby quanto foi para Dawkins e Malone. Durante anos, sua carreira apagada foi utilizada como exemplo para mostrar o que pode acontecer a um jovem promissor que “pula” o basquete universitário. Tanto é que somente duas décadas depois do draft de Willoughby, outro jovem proveniente do high school — Kevin Garnett — teve coragem de seguir esse mesmo caminho tortuoso.

Um cestinha sem a bola nas mãos

Bill Willoughby foi dominante no high school atuando na posição 5, mas não tinha porte físico suficiente para fazer o mesmo na NBA. Então, todos os seus técnicos o utilizaram na posição 3 e priorizaram seus dotes como defensor. Willoughby imagina que sua carreira teria sido bem diferente se algum técnico tivesse apostado nele como aconteceu com Kobe Bryant, que sempre teve permissão para arremessar. O outro lado dessa história é que provavelmente nenhum técnico viu motivos suficientes para apostar nele.

A verdade é que a experiência no college teria ajudado muito Willoughby a se reinventar como jogador, aprendendo a atuar em outras posições, já que como pivô definitivamente era impossível fazer sucesso na NBA. Como consequência, nunca se firmou em nenhuma equipe. Em oito temporadas defendeu seis franquias diferentes (Hawks, Braves, Cavaliers, Rockets, Spurs e Nets), encerrando a carreira em 1984, aos 26 anos de idade, com médias de 6 pontos e 3,8 rebotes por partida.

Bill Willoughby, o homem que bloqueou KAJ

Willoughby pode não ter encontrado o seu nicho na NBA, mas nunca lhe faltou vontade. Se era um marcador que os técnicos queriam, era isso o que ele iria entregar. E a sua experiência como pivô o ajudou a realizar uma das maiores proezas com a qual um defensor pode sonhar: impedir o arremesso fatal de Kareem Abdul-Jabbar, o maior cestinha em toda história da liga.

O Sky Hook, gancho executado com perfeição por Kareem Abdul-Jabbar do alto dos seus 2,18m de altura durante duas décadas, rendeu ao pivô grande parte dos seus 38.387 pontos. O arremesso era executado com o braço direito esticado verticalmente ao máximo, enquanto o braço esquerdo fazia a proteção. Portanto, via de regra, a única alternativa dos adversários se resumia a rezar para que o gancho não caísse na cesta. Mas para toda regra existe uma exceção e nesse caso a exceção tinha nome: Bill Willoughby.

Apesar de ser 15 centímetros mais baixo, no dia 1º de abril de 1981, durante o Jogo 1 da série válida pela primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste, Willoughby bloqueou o “gancho” de Abdul-Jabbar. Na verdade, ao que tudo indica, KAJ ia tentar a enterrada nesse lance. O braço esquerdo não estava fazendo a proteção e ele estava muito mais próximo da cesta do que seria necessário para executar o Sky Hook. De todo modo, o bloqueio aconteceu no ponto mais alto, evidenciando a incrível impulsão de Willoughby, que foi dar cobertura a Moses Malone no momento exato.

Bloqueio de Willoughby em Abdul-Jabbar (via Karol K)

O Houston Rockets venceu essa partida por 101 a 107 e eliminaria o Los Angeles Lakers fazendo 2 a 1 quatro dias depois. O único outro jogador que sabemos ter conseguido bloquear um arremesso de KAJ foi Wilt Chamberlain (2,16m), pelo menos duas vezes.

Tombo financeiro o levou, enfim, à universidade

Além de não ter conseguido se firmar a NBA, Bill Willoughby acabou perdendo praticamente todo o dinheiro que havia ganho no basquete profissional. Sofreu um desfalque no valor de US$ 1 milhão cometido por seu contador e se viu obrigado a vender a casa onde residia para quitar dívidas. Voltou a morar com os pais e arranjou um emprego que lhe pagava US$ 10 por hora.

Deprimido, recebeu ajuda da liga, que pagou pelo seu curso universitário, vindo a se formar em 2001, em Comunicação, aos 44 anos de idade, pela Fairleigh Dickinson University. Em contrapartida, serviu como consultor da NBA fazendo palestras para jogadores do ensino médio sobre a importância do diploma universitário.

Problemas com a justiça

Em 2016, Willoughby foi abordado por dois policiais em New Jersey que o flagraram portando maconha. O ex-jogador, que na época tinha 58 anos de idade, agrediu a dupla e acabou tendo que fazer um acordo com a promotoria para evitar ser processado. Esse episódio demonstra que, embora tenha “dado a volta por cima”, algumas feridas do passado nunca chegaram a ser totalmente curadas.

Torna-se inevitável imaginar como a carreira dele teria se desenrolado se tivesse chegado à NBA mais maduro e com um basquete suficientemente consistente para inspirar a confiança dos técnicos.

Matérias relacionadas

Podcast: quem é o GOAT, a pensão de Griffin, filan... Podcast do Layup • Episódio 102 Q1. De vez em quando a discussão sobre quem é o melhor jogador de todos os tempos volta à tona. Dessa vez foi Kare...
Podcast: Simmons RotY, Kyrie fora, o recorde de KA... Podcast do Layup • Episódio 68 Q1. Se alguém ainda tem alguma dúvida de que Ben Simmons merece ser o Rookie of the Year nessa temporada, algumas e...
A única cesta de 3 pontos de Kareem Abdul-Jabbar Kareem tentou apenas 18 arremessos de 3 pontos em toda a carreira Kareem Abdul-Jabbar é o maior cestinha na história da NBA, com 38.387 pontos marca...
Kareem Abdul-Jabbar leiloa acervo pessoal e revert... Kareem Abdul-Jabbar exibe um dos itens que será leiloado: sua camisa no All-Star Game 1988(Imagem: reprodução YouTube) Além de ser o maior cestinh...