Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

As diferenças entre “early termination” e “player option” nos contratos da NBA

Early Termination x Player Option

Early Termination x Player Option

Os contratos que regulam as relações de trabalho entre jogadores e as franquias da NBA possuem diversas particularidades. Há um intrincado conjunto de regras contidas no Collective Bargain Agreement (CBA), firmado de comum acordo entra a liga e a associação de jogadores, que prevê direitos e deveres para ambos os lados.

Isso é extremamente saudável, já que tanto os proprietários de franquias quanto os atletas têm plenas condições de saber exatamente onde estão pisando antes de assumirem qualquer compromisso. Além disso, possibilita que todos os conflitos sejam resolvidos no âmbito da própria NBA.

Contudo, como o CBA precisa ser extremamente minucioso para não deixar nenhuma situação sem solução, a sua complexidade às vezes pode confundir a cabeça de muita gente. Uma dessas confusões geralmente ocorre com duas cláusulas presentes nos contratos de inúmeros jogadores: early termination e player option.

Similaridades entre player option e early termination

Tanto a early termination quanto a player option geram a prerrogativa de que o jogador decida se cumprirá ou não o último ano do seu contrato. Caso ele resolva não cumprir, torna-se automaticamente um free agent, apto para assinar um novo contrato com qualquer franquia.

Nesta hipótese, a sua ex-empregadora naturalmente não lhe pagará os salários referentes ao último ano e o jogador também não deverá nenhuma indenização por ter rescindido unilateralmente o contrato. Afinal, esta prerrogativa estava prevista no próprio contrato firmado entre as partes.

Ambas as cláusulas, portanto, geram maior controle por parte do jogador a respeito dos rumos da sua carreira. Por isso, costumam estar presentes nos contratos de atletas que já atingiram um certo grau de prestígio na liga.

Principais diferenças

Duração

A player option pode ser incluída em qualquer contrato que tenha duração de pelo menos dois anos. No seu retorno a Ohio, por exemplo, o primeiro contrato que LeBron James firmou com o Cleveland Cavaliers tinha duração de dois anos, com uma player option no segundo. Assim, LeBron teve a liberdade para decidir se mudaria de time nos verões de 2015 e 2016, o que não aconteceu.

Já a early termination só pode estar prevista em um contrato com, no mínimo, cinco anos de duração. Isso faz com que esse tipo de cláusula seja muito menos comum do que a player option, já que contratos tão longos são firmados com menos frequência. O contrato de Carmelo Anthony assinado em 2014 com o New York Knicks, por exemplo, previa a cláusula de early termination, que não foi acionada pelo jogador em 2018, quando já estava no Oklahoma City Thunder.

Valor

Uma outra diferença diz respeito ao valor do salário no último ano do contrato. No caso da player option, ele não pode ser inferior ao valor pago pela franquia nos anos anteriores. Já na early termination não há qualquer vedação neste sentido.

Extensão contratual

Na hipótese de o jogador não exercer a player option, ou seja, decidir não cumprir o último ano do contrato, poderá assinar uma extensão contratual com a mesma franquia. Se a early termination é exercida pelo jogador, não é possível firmar uma extensão contratual.

Bônus no caso de troca

A CBA prevê a possibilidade de que o jogador receba um bônus salarial, chamado de trade kicker, na hipótese de ser negociado. Quem desembolsa a trade kicker é a franquia que está cedendo o jogador.

O valor deste bônus pode estar especificado no contrato (exemplo: US$ 5 milhões) ou ser uma porcentagem do salário que o jogador ainda tem a receber nos próximos anos. E aí, nesta segunda hipótese, está a diferença.

O salário referente a uma player option não é levado em consideração no cálculo da trade kicker. Já no caso do último ano ser uma early termination, todos os valores devidos ao jogador a título de salário até o final do seu contrato são considerados para calcular o bônus a ser pago.

Com informações de Larry Coon.
Summary
As diferenças entre "early termination" e "player option" nos contratos da NBA
Article Name
As diferenças entre "early termination" e "player option" nos contratos da NBA
Description
Apesar de muitas vezes terem efeitos práticos semelhantes, as cláusulas de "early termination" e "player option" em vigor na NBA possuem regras diferentes.
Author
Publisher Name
Layup • Informação de bandeja sobre a NBA
Publisher Logo