Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Stan Love, pai de Kevin e parente dos Beach Boys

Stan Love: à esquerda em seus dias de Baltimore Bullets; à direita, no Lakers

Stan Love: à esquerda em seus dias de Baltimore Bullets; à direita, no Lakers

Todos que acompanham a NBA conhecem há muito tempo o ala-pivô Kevin Love, ótimo jogador do Cleveland Cavaliers. Mas poucos sabem que ele não foi o primeiro membro da família a atuar na liga. Seu pai, Stan Love, também teve uma carreira como jogador de basquete profissional na NBA entre 1971 e 1975. Mas, ao contrário do filho, Stan Love foi um jogador medíocre que acabou ficando mais conhecido por conta das polêmicas nas quais se envolveu com Brian Wilson, um dos membros da banda Beach Boys.

Stan Love foi draftado em 1971, aos 22 anos de idade, pelo Baltimore Bullets, atual Washington Wizards. No Bullets, jogou ao lado do lendário pivô Wes Unseld, um dos maiores reboteiros na história da NBA, e outros membros do Hall da Fama, como Gus Johnson e Earl Monroe. Disputou a pós-temporada em 1972 e 1973, mas o Bullets encontrou o timaço do New York Knicks pelo caminho nestas duas edições dos playoffs, sendo eliminado nas semi-finais da Conferência Leste em ambas as vezes (4 a 2 e 4 a 1, respectivamente).

No vídeo abaixo, uma edição dos “melhores momentos” de Stan Love em uma partida válida pela temporada regular de 1972-73, disputada justamente contra o Knicks, em 4/3/1973. O #18 da franquia de Manhattan que deixa Love caído depois de uma falta é Phil Jackson, técnico 6 vezes campeão com o Chicago Bulls e 5 com o Los Angeles Lakers. A vitória foi do Bullets por 106 a 97.

Vídeo: Wilt Chamberlain Archive

Em 1973, Stan Love foi trocado com o Los Angeles Lakers por uma escolha de 2ª rodada no draft, o que acabou se tornando um ótimo negócio para o Bullets, pois o All-Star Truck Robinson foi selecionado em 1974. Love chegou a um Lakers decadente na temporada de despedida de Jerry West que quase foi varrido pelo Milwaukee Bucks nos playoffs de 1974 (4 a 1). No elenco da franquia californiana também havia outros Hall of Famers, como Pat Riley (#12), Gail Goodrich (#25; 1º uniformizado em pé à esquerda) e Connie Hawkins (#42).

Stan Love é o #34, primeiro sentado à esquerda. Imagem: LA Times.

Stan Love é o #34, primeiro sentado à esquerda. Imagem: LA Times.

Stan Love tenta marcar Rick Barry

Depois de chegar a duas finais consecutivas em 1972 e 1973, o Lakers foi eliminado logo na 1ª rodada dos Playoffs 1974. Na temporada seguinte o desempenho da franquia caiu sensivelmente, deixando claro que uma reformulação do elenco era necessária. Stan Love foi dispensado em fevereiro de 1975 e nunca mais atuou na NBA, onde deixou médias de 6,8 pontos, 4 rebotes e 0,8 assistência em 15,2 minutos por partida.

Foi contratado logo em seguida pelo San Antonio Spurs, que ainda fazia parte da ABA (American Basketball Association). No Spurs, Love disputou apenas 12 partidas da temporada 1974-75 e não teve seu contrato renovado. Mas, a exemplo do que aconteceu nas outras equipes por onde passou, teve o privilégio de dividir a quadra com lendas da NBA, como George Gervin e George Karl, atual técnico do Sacramento Kings. Sua carreira como jogador de basquete terminou em 1º de abril de 1975, apenas 3 anos e meio após sua estreia no Baltimore Bullets.

Sua relação conturbada com Brian Wilson

Stan Love é irmão de Mike Love, um dos integrantes da banda Beach Boys, que fez enorme sucesso nos EUA nos anos 1960, influenciou diversas outras bandas e artistas, e tem uma legião de fãs até hoje. Além de Mike há outros parentes de Stan Love no Beach Boys: Brian Wilson, Carl Wilson e Dennis Wilson, todos seus primos.

O uso de drogas pesadas, especialmente LSD, era uma tônica entre os músicos norte-americanos dos anos 1960 e com os Beach Boys a coisa não foi diferente. Mas aparentemente Brian Wilson passou da conta. Ele passou a sofrer com alucinações, tornou-se maníaco-depressivo e desenvolveu transtorno esquizoafetivo.

Nos meados dos anos 1970, Stan Love tornou-se uma espécie de “cão de guarda” remunerado de Brian Wilson para impedir que o primo consumisse drogas e para tentar mantê-lo com hábitos menos autodestrutivos. Na mesma época, Wilson passou a manter estreita relação com Eugene Landy, que deixou de ser apenas seu psicólogo para se tornar uma espécie de guru para todos os assuntos, inclusive financeiros. No cabo de guerra de influências, Love passou a levar desvantagem rapidamente.

Em 1981, Stan Love e um amigo (Rushton Pamplin) invadiram a casa de Dennis Wilson, onde estava havendo uma festa regada a drogas. Love sempre responsabilizou Dennis por incentivar Brian a consumir drogas e decidiu dar uma surra no primo por conta disso. O episódio lhe rendeu uma multa e 6 meses de restrição de direitos.

O ápice do conflito entre Stan Love e Brian Wilson ocorreu em 1990. Supostamente preocupado com o bem-estar de seu primo, Stan Love convocou uma entrevista coletiva para anunciar que iria interditar judicialmente Brian Wilson, alegando que ele não tinha mais condições de cuidar de si mesmo. Mas no meio da coletiva, adivinhe quem apareceu, perfeitamente sóbrio, para dizer que estava são e não precisava da ajuda de ninguém? Sim, o próprio Brian Wilson.

Vídeo: Ultimate Beach Boys Video Collection

Felizmente o litígio entre os primos não prosseguiu. Pelo contrário, em 2006, os dois até foram juntos assistir uma partida de Kevin Love, quando o craque ainda defendia a UCL no basquete universitário.

error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.