Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Spurs perde o segundo jogo em casa com placar inédito há 26 anos

A defesa do Spurs assistiu Blake Griffin marcar 26 pontos apenas dos dois primeiros períodos (imagem: NBA.com)

A defesa do Spurs assistiu Blake Griffin marcar 26 pontos apenas dos dois primeiros períodos (imagem: NBA.com)

Liderado por Blake Griffin, cestinha da partida com 28 pontos, o Los Angeles Clippers derrotou o San Antonio Spurs no Texas por 116 a 92. Foi a segunda derrota do Spurs como mandante em 2016-17, que agora tem um retrospecto negativo jogando em casa (1V-2D) e o dobro de derrotas registradas no AT&T Center durante toda a temporada passada (40V-1D). Mas a campanha realizada em 2015-16 foi excepcional, algo totalmente fora da curva, razão pela qual não é justo usá-la como termo de comparação. O que merece crítica, por outro lado, é verdadeira peneira em que se transformou a defesa do Spurs, sobretudo no primeiro tempo.

Spurs não sofria tantos pontos no 1º tempo desde 1990

Quando o 2º período terminou o placar marcava 73 pontos para o Los Angeles Clippers e 55 para o San Antonio Spurs. Desde quando Gregg Popovich assumiu o comando técnico da franquia texana nenhum adversário havia conseguido marcar tantos pontos no 1º tempo de uma partida, seja da temporada regular ou dos playoffs. É partida que não acaba mais (1.836, para ser exato).

A última vez em que o San Antonio Spurs sofreu tantos pontos nos dois primeiros períodos de uma partida foi em 7 de novembro de 1990, quando foi para o vestiário perdendo para o Denver Nuggets por 90 a 83, mas acabou vencendo por 161 a 153.

E foi apenas a 12ª vez que o Spurs de Popovich perdeu em casa sofrendo 116 pontos ou mais. Não é a toa que ficou tão irritado.

Como é público e notório, o grande trunfo do Spurs tem sido a defesa, a melhor da liga em 2015-16. Não é por acaso que Kawhi Leonard foi eleito Defensive Player of the Year duas vezes consecutivas, em 2015 e 2016. Mas pelo visto Popovich terá trabalho para manter este padrão de excelência.

A equipe parece sentir falta da liderança de Tim Duncan e se mostrou completamente desorientada no setor defensivo em vários momentos da partida, cometendo erros primários de posicionamento e nas trocas de marcação.

As ausências de Tony Parker e Danny Green, ambos contundidos, contribuíram para a performance abaixo da crítica do Spurs. Mas o maior problema talvez tenha sido a facilidade que o Clippers encontrou para jogar dentro do garrafão, onde marcou 48 pontos contra apenas 22 do Spurs. Pau Gasol e LaMarcus Aldridge nunca se destacaram por seus recursos defensivos, mas agora eles são o mais próximo de um rim protector que a franquia texana possui.

Season high de Griffin e liderança do Oeste

O Clippers, que não tem nada a ver com os problemas do rival, tornou-se o líder da Conferência Oeste, somando agora 5 vitórias em 6 partidas. É a mesma campanha do Oklahoma City Thunder, mas a franquia californiana leva vantagem no critérios de desempate.

Blake Griffin, jogador do qual o Clippers depende muito se pretende brigar pelo título em 2017, marcou 28 pontos com 68,4% de aproveitamento nos arremessos de quadra.

Chris Paul passou perto de anotar um triplo-duplo magrinho (9 pontos, 10 assistências e 8 rebotes) e protagonizou um lance sensacional ao passar a bola por baixo das pernas de Pau Gasol, que nunca poderia estar marcando o armador.

Com informações obtidas no site Basketball Reference.
error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.