Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Pistons 19 x 18 Lakers, o placar mais baixo na história da NBA

Quando o placar mais baixo foi registrado o Pistons tinha sede em Indiana e o Lakers em Minnesota

Quando o placar mais baixo foi registrado o Pistons ainda tinha sede em Indiana e o Lakers em Minnesota

Quem acompanha a NBA está acostumado a contagens centenárias e jogadores marcando dezenas de pontos em uma única partida. Por isso, parece até mentira que o placar mais baixo já registrado em um jogo oficial da liga, com 48 minutos de duração, tenha sido de 19 a 18, considerado baixo até para uma partida de escola disputada entre crianças. Mas isso aconteceu de verdade. Foi no dia 22 de novembro de 1950, no Minneapolis Auditorium, diante de sete mil torcedores extremamente insatisfeitos.

Contexto histórico

O Minneapolis Lakers, atual Los Angeles Lakers, era o bicampeão da liga. Havia conquistado o título da terceira temporada da BAA, em 1948-49, e repetido a dose em 1949-50, quando a liga adotou o nome NBA. O sucesso do Lakers era consequência direta das ótimas performances do pivô George Mikan (2,08m), cestinha das duas temporadas com média de quase 30 pontos por partida.

Já o Fort Wayne Zollner Pistons, atual Detroit Pistons, ainda não tinha conseguido repetir na NBA o sucesso obtido na NBL, onde foi campeão das temporadas 1943-44 e 1944-45.

Sua maior estrela era o ala Fred Schaus (1,96m), que chegou a ser All-Star em 1951, mas era muito menos eficiente do que Mikan, tendo registrado média de 14,3 pontos por partida em 1949-50 (FG 35,2%). Uma curiosidade: Schaus viria ser o técnico do Lakers durante boa parte da década de 1960, época em que o Boston Celtics dominou a liga.

Em 19 de novembro de 1950 o Pistons derrotou o Baltimore Bullets por 84 a 80 em Fort Wayne, no estado de Indiana, e partiu no dia seguinte rumo a Minneapolis com uma campanha de 6 vitórias e 5 derrotas.

Até aquela altura o Lakers tinha 5 vitórias e 4 derrotas e também vinha de uma vitória conquistada em 19/11/1950: 90 a 77 sobre o Rochester Royals, atual Sacramento Kings. O time de Minneapolis defendia uma invencibilidade de 29 partidas em seus domínios.

Como o placar mais baixo foi construído

Em princípio é difícil entender como dois times foram capazes de marcar mais de 80 pontos num dia e não passar dos 20 apenas 72h depois. Mas há uma explicação muito simples para este acontecimento bizarro.

Naquela época ainda não existia o relógio que limitava cada posse de bola a no máximo 24 segundos e o técnico do Pistons, Murray Mendenhall, decidiu tentar tirar vantagem desta brecha que havia na regra.

Durante a maior parte do jogo o time do Pistons fez cera, ficou longos minutos com a bola em mãos sem arriscar nenhum arremesso para evitar que George Mikan pontuasse. Inconformados com o marasmo do jogo os torcedores vaiaram e bateram os pés no assoalho do Minneapolis Auditorium em sinal de protesto, mas não adiantou.

O 4º período começou com o placar de 17 a 16 a favor do Lakers. Todos os arremessos de quadra do mandante (4) haviam sido marcados por Mikan, que também havia convertido sete lances livres. O pivô do Pistons, Larry Foust, marcou um ponto em lance livre empatando o placar em 17. Jim Pollard colocou o Lakers em vantagem novamente com outro lance livre. Mas aí, no final da partida, Foust converteu um arremesso que sacramentou o placar mais baixo na história da NBA: Pistons 19 x 18 Lakers.

Repercussão e mudança da regra

Assim que a partida terminou o técnico do Lakers, John Kundla, declarou que o Pistons havia agredido o basquete profissional norte-americano naquela noite e que se outras partidas como aquela acontecessem o destino da NBA seria a falência.

Coincidentemente, o calendário previa outro jogo entre as duas equipes no dia seguinte, desta vez em Fort Wayne. Mendenhall não teve coragem de repetir a mesma tática, mas mesmo com os 32 pontos marcados por George Mikan o Pistons venceu por 73 a 63.

Embora a cera extrema utilizada pelo Pistons naquela noite nunca mais tenha sido colocada em prática por outro time, alguns técnicos continuaram lançando mão da estratégia em determinados momentos das partidas, comprometendo a qualidade do espetáculo.

Até que em 1954 Daniel Biasone, fundador do Syracuse Nationals (atual Philadelphia 76ers) sugeriu que a NBA adotasse o limite de 24 segundos para cada posse de bola, regra que perdura até hoje.

error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.