Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Os bastidores da demissão de David Blatt

LeBron nunca quis David Blatt como técnico do Cavs

LeBron nunca quis David Blatt como técnico do Cavs

Apesar do Cleveland Cavaliers ter a melhor campanha na Conferência Leste, com 30 vitórias e 11 derrotas, ontem a direção da franquia decidiu demitir o técnico David Blatt. Ele não resistiu a uma conspiração que já estava em curso antes da sua contratação, muito menos a uma realidade que continuará sendo um problema para a franquia de Ohio: LeBron James não quer receber ordens de ninguém.

A batata de David Blatt estava assando desde o início

A derrota acachapante para o Golden State Warriors em plena Quicken Loans Arena por 132 a 98 no último dia 18 certamente pesou na saída de Blatt, mas a verdade é que seu destino estava traçado desde quando assumiu o Cavs. Era apenas uma questão de tempo.

Mesmo antes de David Blatt ser contratado em junho de 2014, Rich Paul, cuja agência gerencia a carreira de LeBron James, e o próprio jogador tinham outro nome de preferência para ocupar o cargo de técnico do Cavs. Mark Jackson, que havia sido demitido pelo Golden State Warriors em maio daquele ano, era quem o craque e seu agente queriam ver comandando o Cavs. Tendo Jackson como aliado seria ainda mais fácil para Rich Paul transformar a equipe em seu balcão particular de negócios e LeBron teria a autonomia que pretendia desfrutar em Miami, mas sempre lhe foi negada por Pat Riley e Erik Spoelstra. A informação é de Adrian Wojnarowski, jornalista do Yahoo! norte-americano.

Persuadir o dono da franquia, Dan Gilbert, a contratar Jackson era tarefa relativamente fácil naquele momento em que LeBron estava voltando a Ohio. O problema foi convencer o general manager David Griffin, que é muito bem relacionado com outros executivos da NBA e conhecia os motivos pelos quais havia Jackson sido demitido do Warriors.

Como Zach Lowe conta neste artigo do site Grantland, Mark Jackson tinha péssimo relacionamento com seus assistentes e com a direção do Warriors. Jackson não dava crédito algum ao trabalho de seus assistentes e chegou a demitir Brian Scalabrine, o White Mamba, na frente de todos os jogadores, além de entrar em rota de colisão com ninguém menos do que o lendário Jerry West, membro do corpo executivo do Warriors e acionista minoritário da franquia, impedindo-o de assistir os treinamentos da equipe.

A gota d’água foi quando chegou ao conhecimento da direção do Warriors que os assistentes de Jackson, em especial Darren Erman, estavam gravando suas conversas secretamente. A suspeita era de que Jackson estaria falando mal de seus assistentes e as gravações serviriam como prova.

Sabendo de tudo isso, Griffin excluiu a possibilidade de ter Mark Jackson dirigindo o Cavs e trouxe David Blatt de Israel, contrariando os interesses de Rich Paul e LeBron.

Assim, a vida de David Blatt em Ohio começou difícil desde o primeiro momento. LeBron nunca facilitou nada para Blatt, muito pelo contrário. Após o jogo #4 dos playoffs 2015 entre Cavs e Bulls, por exemplo, LeBron fez questão de dizer na entrevista coletiva que só converteu o game winner porque não acatou as ordens de Blatt (vídeo abaixo).

Blatt nunca soube lidar com LeBron James

O pivô veterano Brendan Haywood fez parte do elenco do Cleveland Cavaliers entre junho de 2014 e julho de 2015, ou seja, durante toda a 1ª temporada de David Blatt na franquia. Segundo ele, em entrevista concedida ontem à NBA TV, quando o elenco se reunia para assistir o videotape das partidas, Blatt interrompia a reprodução do filme sempre que constatava a falha de posicionamento de um dos atletas e o repreendia por isso. Menos LeBron James.

Era Ty Lue quem parava o filme para chamar a atenção de LeBron, fazendo com que os jogadores passassem a ter mais respeito pelo assistente do que tinham por Blatt.

Outro sinal da submissão de Blatt era observado nos coletivos: o técnico apitava faltas sobre LeBron James com muito mais frequência do que fazia quando o lance envolvia outro jogador. A impressão, nas palavras de Haywood, era de que David Blatt tinha medo de LeBron.

O craque até foi flagrado pelas câmeras em um pedido de tempo orientando seus companheiros, ignorando completamente seu técnico, que teve de pedir licença para falar com os jogadores.

O fato mais constrangedor e sintomático da inversão de papeis que havia no relacionamento entre Blatt e LeBron ocorreu quando Cavs se sagrou campeão da Conferência Leste. Sabendo que tudo o que dizia estava sendo gravado, David Blatt chamou LeBron para lhe agradecer por ter retornado a Cleveland e dizer que ele merecia o título conquistado. A reação de LeBron não poderia ter sido mais fria, beirando o desprezo.

David Blatt tem a melhor campanha na história do Cavs

Segundo os números, o técnico demitido ontem foi o melhor na história do Cleveland Cavaliers. Blatt venceu 83 partidas da temporada regular e perdeu somente 40, o que representa um aproveitamento de 67,5%. Em playoffs, Blatt venceu 14 partidas e perdeu 6 (70%). Nenhum dos 18 técnicos que o antecederam desde quando o Cavs foi fundado, em 1970, teve desempenho melhor do que ele, tanto na temporada regular quanto nos playoffs.

Tyronn Lue foi promovido a técnico

O assistente de David Blatt foi escolhido por Griffin para substitui-lo no cargo de técnico do Cavs. Ty Lue receberá US$ 9,5 milhões em 3 anos de contrato em seu primeiro trabalho como head coach de uma equipe da NBA. Lue, que atuou na liga como armador entre 1998 e 2009, já foi assistente técnico no Boston Celtics, no Los Angeles Clippers e desempenhava esta função no Cavs desde 2014.

Lue já sabe exatamente o quão disfuncional é o ambiente no Cavs, o que lhe dá uma pequena vantagem em comparação a um técnico que começaria do zero. Além disso, já conviveu diariamente com Michael Jordan e Kobe Bryant quando jogou no Lakers e no Wizards, respectivamente, portanto não se sente intimidado com a presença de LeBron.

Resta saber se um técnico de primeira viagem num elenco extremamente tumultuado será páreo a curto e médio prazo para enfrentar franquias onde hierarquia, ordem e respeito mútuo fazem parte da cultura organizacional há muito tempo..

Jogadores pensaram que Kevin Love estava sendo negociado

Para se ter uma ideia de quão tumultuados estão estão os bastidores do Cavs, o próprio David Blatt havia confidenciado a amigos em Israel recentemente que alguém sairia do Cavs: ele ou Kevin Love, as duas maiores pedras no caminho de LeBron.

E esta impressão não era somente de Blatt, mas de muitos jogadores. Quando o elenco foi chamado por Griffin para comunicar a saída de Blatt, muitos pensaram que seria anunciada a transferência de Kevin Love, jogador que volta e meia é cobrado por LeBron James, às vezes até publicamente.

error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.