Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

NBA perde Harvey Pollack, o rei das estatísticas

Harvey Pollack trabalhava para o Sixers desde a fundação da franquia, em 1946 (imagem: twitter.com/NBAHistory)

Harvey Pollack trabalhava com as estatísticas da NBA desde a fundação da liga, em 1946 (imagem: twitter.com/NBAHistory)

Harvey Pollack, responsável pelas estatísticas das franquias sediadas em Philadelphia desde o primeiro dia de operação da NBA, em 1946, faleceu ontem aos 93 anos de idade. Pollack era o único funcionário ainda vivo vinculado à NBA desde a criação da liga e seu trabalho teve uma importância incalculável para o seu desenvolvimento.




Depois de servir o exército norte-americano durante a 2ª Guerra Mundial, Pollack começou a escrever colunas esportivas para o jornal Philadelphia Bulletin e a trabalhar compilando as estatísticas do basquete universitário.

Em 1946, o general manager, técnico e futuro proprietário do Philadelphia Warriors, Eddie Gottlieb, contratou Pollack para trabalhar como relações públicas da franquia e ajudar a divulgá-la, pois sabia que seus contatos na imprensa trariam bons frutos.

Pollack também passou a colher estatísticas para o Warriors, atividade que com o passar dos anos acabou se tornando seu principal trabalho e verdadeira paixão.

Quando Pollack começou a trabalhar na NBA não havia nenhuma das tecnologias que fazem parte do nosso dia a dia. Nem mesmo as máquinas de xerox haviam sido inventadas e o mimeógrafo ainda era um investimento muito alto para uma liga incipiente.

Pollack conversa com Billy Cunningham, campeão pelo Sixers em 1967

Assim, ele tinha que preparar as folhas de estatísticas com antecedência e anotar tudo à mão, partida após partida. Usando papel carbono, Pollack fazia cópias das estatísticas e entregava ao time adversário e a jornalistas presentes na partida.

No dia seguinte a cada jogo, Pollack telefonava para o escritório da NBA em Nova Iorque, que tinha apenas 4 funcionários, e ditava para a secretária todas as estatísticas. Depois de datilografadas elas eram encaminhadas pelo correio para a sede de cada uma das outras franquias da NBA.

Seguindo a inciativa de Harvey Pollack, a NBA começou a coletar estatísticas de rebotes defensivos e ofensivos, bloqueios (tocos), roubos de bola, turnovers e minutos em quadra. Até então, as estatísticas se resumiam apenas a arremessos executados e convertidos, assistências e faltas.

Durante décadas Pollack coletou números que passavam despercebidos aos olhos de todos, mas que ele sabia que poderiam ser extremamente valiosos no desenvolvimento do basquete. Não é por acaso que hoje analisar cuidadosamente dezenas de estatísticas faz parte do cotidiano de todos general managers e técnicos da NBA.

Pollack é o homem por trás de uma das fotos mais famosas na história da NBA

Wilt Chamberlain tinha em Pollack um de seus maiores fãs. Pollack considerava a época em que o lendário pivô defendeu o Warriors em Philadelphia, entre 1959 e 1962, a melhor fase da NBA e estava trabalhando no dia 2 de março de 1962, quando Chamberlain marcou 100 pontos na vitória do Warriors sobre o New York Knicks por 169 a 147.

Naquela época os jogos não eram televisionados, poucos eram transmitidos ao vivo pelo rádio e o público nos ginásios raramente superava 5 mil espectadores. Pollack sabia que havia presenciado algo tão inédito quanto espetacular e ficou preocupado em registrar de alguma maneira aquela performance, sob pena de que se tornasse apenas uma “história de pescador”. Escreveu “100” em uma folha de papel e pediu que Wilt Chamberlain a segurasse posando para a foto que até hoje circula por todos os cantos da internet.

Harvey Pollack é o responsável pela foto mais famosa de Wilt Chamberlain

Harvey Pollack é o responsável pela foto mais famosa de Wilt Chamberlain

Como se sabe, o Warriors se transferiu para a costa Oeste em 1962, abrindo a possibilidade de que o Syracuse Nationals adotasse Philadelphia como sede. Em 1965, Wilt Chamberlain deixou o Warriors e retornou a sua terra natal para defender o Philadelphia 76ers, ex-Syracuse.

Assim, entre 1965 e 1968 Pollack teve a oportunidade de acompanhar de perto as performances de seu ídolo, incluindo o título de 1967 do Sixers. Para Pollack, que viu todos os jogadores que já atuaram na NBA em ação, não havia dúvidas de que Chamberlain foi o melhor jogador de basquete em toda história da liga.

Pollack com Julius Erving, outra lenda do Sixers

Assista o vídeo que a NBA produziu em homenagem a Pollack

error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.