Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Kobe sofre a pior derrota de sua carreira

A forte marcação do Jazz impôs a pior derrota na carreira de Kobe Bryant

A forte marcação do Jazz impôs a pior derrota na carreira de Kobe Bryant

O maior ídolo do Los Angeles Lakers nas últimas décadas e um dos maiores astros que já atuou na NBA está encerrando sua carreira de maneira vexaminosa. Além do Lakers estar registrando a pior campanha de sua longa história, com apenas 20,3% de aproveitamento na temporada 2015-16, ontem Kobe Bryant sofreu a pior derrota em seus 20 anos de carreira.

Atuando em Salt Lake City, o Lakers foi dizimado pelo Utah Jazz, que venceu por 123 a 75. A diferença de 48 pontos em uma derrota é a maior na história da franquia californiana, mas já havia sido registrada anteriormente, em 6 de março de 2014, quando o Lakers perdeu para o Los Angeles Clippers por 142 a 94. Entretanto, naquela oportunidade Kobe estava contundido e não atuou.

Sua atuação foi tão ruim quanto o resultado final. Mesmo jogando durante 27 minutos, Kobe marcou somente 5 pontos, sendo 3 deles marcados em cobranças de lance livre. Foi a 1ª vez na carreira que o ala-armador converteu somente um arremesso de quadra atuando durante tanto tempo. Seu aproveitamento foi de apenas 9%, com 10 arremessos desperdiçados em 11 tentativas.

Para complementar a note desastrosa, Kobe não pegou nenhum rebote, fez 2 assistências, roubou 1 bola e sofreu um bloqueio. Também teve o pior desempenho na estatística plus/minus (+/-), saindo de quadra com -44, a pior marca em toda a sua carreira.

Marcação implacável do Jazz foi determinante para causar a pior derrota do Lakers

É de interesse do Lakers terminar a temporada regular com uma das 3 piores campanhas da NBA para manter a sua escolha no Draft 2016. Isto tem sido usado como uma das principais justificativas para a performance tenebrosa da equipe em 2015-16. Mas é muito difícil acreditar que a derrota de ontem tenha sido proposital. Derrota é derrota, seja ela por 1 ou por 100 pontos de diferença, mas passar vergonha é opcional quando há o mínimo de qualidade e disciplina tática, o que não é o caso deste Lakers.

O massacre imposto pelo Jazz foi determinado pelo abismo técnico e tático que existe entre as equipes dirigidas por Byron Scott e Quin Snyder. Sem nenhuma liberdade no ataque, o Lakers converteu apenas 30,6% dos arremessos de quadra contra 51,7% do Jazz. Nos rebotes ofensivos a diferença também foi brutal: apenas 7 do Lakers e 13 do Jazz.

Não é por acaso que o Utah Jazz tem a 2ª melhor defesa da NBA (96,1 pontos sofridos por partida) e o Los Angeles Lakers apenas a 27ª (107 pontos sofridos por partida). E enquanto os californianos sonham em atrair ao menos um astro no verão norte-americano e draftar um futuro craque para reconstruir o elenco, o Utah Jazz está brigando por vaga nos Playoffs 2016 e hoje parece ser um destino muito mais promissor para free agents do que o Lakers.

Diferença de pontos também igualou recorde do Jazz

Se a partida de ontem igualou a pior derrota na história do Lakers, também igualou a melhor vitória na história do Jazz. Em 27 de janeiro de 1990 a franquia de Utah derrotou o Milwaukee Bucks por 144 a 96, a mesma diferença de pontos registrada ontem.

Hood brilhou e brasileiros tiveram atuações discretas

O jovem Rodney Hood, que está fazendo sua 2ª temporada na NBA, foi o cestinha da partida, com 30 pontos (11/13 FG). Ambos os brasileiros foram reservas e tiveram atuações muito discretas. Pelo Jazz, Raul Neto marcou 2 pontos (1/4 FG), fez 2 assistências e roubou uma bola em 18 minutos, enquanto e Marcelinho Huertas fez 6 pontos (2/8 FG), pegou um rebote, fez duas assistências e cometeu 3 turnovers em quase 23 minutos defendendo o Lakers.

error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.