Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

O que é o “garbage time” e quais são suas regras implícitas

Garbage time

Garbage time

Quantas vezes já ouvimos que um minuto é uma eternidade no basquete? De fato, muita coisa pode acontecer em apenas alguns segundos. Principalmente na NBA, onde o nível técnico dos jogadores é estratosférico. Basta lembrar os 13 pontos marcados por Tracy McGrady em pouco mais de meio minuto, virando o jogo para o Houston Rockets contra o San Antonio Spurs em 9 de dezembro de 2004.

Mas quando a diferença no placar é muito grande, não há talento nem tempo que dê jeito. O que o técnico de um time que está perdendo por 30 pontos de diferença, por exemplo, pode esperar de sua equipe nos minutos finais de uma partida terrível? Absolutamente nada.

Quando ainda há jogo, mas não há mais nada em jogo

Se fica claro que um dos times já não tem mais nenhuma chance de reagir e brigar pela vitória, não faz mais sentido deixar os melhores jogadores em quadra. Afinal, para que desgastá-los e deixá-los expostos ao risco de uma contusão desnecessariamente se o calendário da NBA é longo e há outros compromissos importantes pela frente?




A partir deste momento inicia-se o garbage time, quando os técnicos colocam em quadra reservas que raramente têm a oportunidade de jogar. É o caso de veteranos que fazem parte do elenco exclusivamente para servir como referência para os jogadores mais jovens (Ex: Elton Brand no Philadelphia 76ers em 2015-16) e de calouros que ainda não têm nível técnico ou a compleição física necessária para disputar uma partida da NBA sem prejudicar sua equipe (ex: Bruno Caboclo no Toronto Raptors em 2014-15).

Tradução
Garbage = lixo • Time = tempo

Fala-se em garbage time, portanto, quando uma partida já definida a favor de uma determinada equipe entra em seus minutos ou segundos finais e os técnicos de ambos os times tiram de quadra seus principais jogadores. Com isso, além de o jogo se tornar extremamente desinteressante, seu nível técnico costuma cair muito, justificando o nome garbage.

As regras implícitas do garbage time

Obviamente o jogo continua seguindo as mesmas regras de sempre quando uma partida entra no garbage time. Porém, existem pelo menos duas regras informais que geralmente são observadas.

  • Como a partida entra num ritmo de treino, ninguém deve se esforçar exageradamente, atuando como se ainda houvesse algo em disputa, muito menos fazer jogadas que possam expor os adversários ao risco de contusão.
  • Jogadores do time que está vencendo não devem fazer jogadas de efeito desnecessariamente, já que isso pode ser interpretado como tentativa de humilhar ainda mais o adversário, já devidamente humilhado pelo placar.

Contudo, sempre há jogadores que querem aproveitar seu raro momento em quadra para “mostrar serviço” e melhorar suas estatísticas, o que é natural.

Já o que Caron Butler fez com Jonas Valanciunas em 1ª  de fevereiro de 2013 é um verdadeiro atentado ao fair play (vídeo abaixo). Se os canadenses não fossem tão pacíficos teria saído pancadaria.

Mas, provando que o Toronto Raptors agora tem que ser levado a sério, o tempo fechou no dia 4 de abril de 2017, no final da partida contra o Indiana Pacers, quando Lance Stephenson aproveitou a ausência de marcação para fazer uma bandeja.