Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

San Antonio Spurs

San Antonio Spurs

San Antonio Spurs

O San Antonio Spurs integra a Divisão Sudoeste da Conferência Oeste da NBA. Fundada em 1967, é a quarta franquia mais vitoriosa da liga com cinco campeonatos. Desde quando ingressou na NBA, em 1976, ficou fora dos playoffs apenas quatro vezes. Sua história se divide em duas eras: antes e depois do técnico Gregg Popovich, que está no comando da equipe há quase duas décadas e a conduziu a todos os cinco títulos já conquistados. Tão importante para o sucesso do San Antonio Spurs quanto Pop foi o trio formado em 2002 por Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginóbili, fundamental em quatro dos cinco campeonatos vencidos.

Origens

A franquia foi fundada em 1967 na cidade de Dallas, no estado do Texas, para integrar a então recém inaugurada ABA (American Basketball Association). A reunião em que os proprietários escolheram o nome da equipe foi realizada no restaurante mais badalado de Dallas, o Club Chaparral, que funcionava no 37º andar do hotel Sheraton. Depois de muita discussão sem que nenhum dos nomes sugeridos agradasse a maioria, o nome do restaurante acabou servindo de inspiração e a equipe foi batizada de Dallas Chaparrals. Chaparral é o nome de uma ave que vive nos desertos do Texas e no México, também conhecida como roadrunner (o Papa-Léguas que sempre escapava do Coiote nos desenhos da Looney Tunes), famosa por sua rapidez ao correr. As cores adotadas no uniforme foram branca, vermelha e azul.




Após três temporadas sem sucesso dentro das quadras e, principalmente, sem atrair a torcida local, a franquia foi rebatizada como Texas Chaparrals e passou a mandar partidas em outras cidades do estado no intuito de aumentar a receita e ganhar popularidade. Mas a manobra não surtiu nenhum efeito positivo, pelo contrário, somente aumentou as despesas da franquia, que voltou a mandar partidas somente em Dallas na temporada 1971-72 e a usar o nome original.

O que já estava ruim piorou na temporada 1972-73, quando o Chaparrals não conseguiu nem se classificar para os playoffs, o que era uma “proeza” na ABA, já que somente o último colocado de cada um das duas divisões, formada por cinco equipes cada, ficava fora dos playoffs. Foi a gota d’água que faltava para os proprietários colocarem a franquia à venda, mas não surgiu nenhum comprador disposto a pagar o preço pedido. Sem opção, os proprietários acabaram aceitando uma oferta pouco usual: investidores de San Antonio arrendaram a franquia pelo período de três anos com opção de compra no final do contrato.

A primeira providência tomada pelos arrendatários foi tirar a franquia de Dallas e levá-la para San Antonio, onde foi batizada de Gunslingers (pistoleiros). O nome, que nunca chegou a ser utilizado, não agradou e foi alterado para Spurs (espora), uma referência bem mais simpática ao faroeste. Assim, a temporada 1973-74 da ABA foi a primeira em que a franquia atuou sob o nome que utiliza até hoje: San Antonio Spurs. Pra concluir a mudança de identidade, das cores do Chaparrals ficou somente o branco, que se uniu ao preto e ao prateado.

Depois das 18 primeiras partidas o San Antonio Spurs já havia vendido mais ingressos do que o Dallas Chaparrals em toda temporada 1972-73, o que deu segurança suficiente para os arrendatários exercerem o direito de compra logo em 1974.

A temporada 1975-76 da ABA contou com apenas nove franquias, sendo que duas delas fecharam as portas algumas rodadas após o início da competição. O inevitável aconteceu: com menos de uma década de existência, a ABA foi extinta em 1976 sem que o San Antonio Spurs, ou qualquer uma de suas “versões” anteriores, chegasse sequer a uma final. Das sete equipes remanescentes, quatro foram admitidas na NBA: Denver Nuggets, Indiana Pacers, New York Nets (atual Brooklyn Nets) e o San Antonio Spurs.

voltar ao topo da página ↑

Localização do San Antonio Spurs

Desde 1973 a franquia está localizada em San Antonio, a segunda cidade mais populosa do Texas e a sétima dos EUA. O San Antonio Spurs manda suas partidas no AT&T Center (1 AT&T Center Parkway • San Antonio, Texas • 78219), arena inaugurada em 2002 com capacidade para 18.581 espectadores. Em 2016 a franquia investiu de mais de US$ 100 milhões em obras visando a modernização do AT&T Center, incluindo a instalação de um novo telão de alta definição no centro da quadra quatro vezes maior do que o atual, displays de LED, novo sistema de som, aperfeiçoamento da rede Wi-Fi, novos bares, restaurantes, além da renovação dos assentos.

San Antonio, Texas, EUA

San Antonio, Texas, EUA

voltar ao topo da página ↑

Recordes do San Antonio Spurs

Raio-X da franquia

Raio-X 
Temporadas na NBA41
Participações nos playoffs37
Títulos da NBA5
Títulos de Conferência6
1ª colocação na Conferência10
1ª colocação na Divisão22
Vitórias/derrotas na temporada regular2.067/1.247 (62,4%)

Maiores sequências na temporada regular

SequênciaPartidasTemporada
Vitórias192013-14
Derrotas131988-89

Melhor e pior campanha na temporada regular

TemporadaCampanha%Pós-temporada
2015-1667-1581,7Eliminado nas semifinais de conferência
1996-9720-6224,4--

Recordes totais

EstatísticaJogadorRecorde
PontosTim Duncan26.496
RebotesTim Duncan15.091
AssistênciasTony Parker6.634
Roubos de bolaDavid Robinson1.388
BloqueiosTim Duncan3.020
Lances livresDavid Robinson6.035
Arremessos de 3 ptsManu Ginobili1.431
PartidasTim Duncan1.392

Recordes – médias por partida

EstatísticaJogadorRecorde
PontosGeorge Gervin26,3
RebotesDennis Rodman17,1
AssistênciasRod Strickland8,2
Roubos de bolaAlvin Robertson2,9
BloqueiosGeorge Johnson3,3
MinutosBob Netolicky37,8

Recordes em uma única partida

EstatísticaJogadorRecordeDataAdversário
PontosDavid Robinson7124/04/1994Los Angeles Clippers
RebotesDennis Rodman3222/01/1994Dallas Mavericks
Assistências John Lucas2415/04/1984Denver Nuggets
Roubos de bolaJohnny Moore • Alvin Robertson (3)106/3/85 • 18/2/86, 22/11/86 e 11/1/89Pacers • Suns, Clippers e Rockets
BloqueiosDavid Robinson1223/02/1990Minnesota Timberwolves
Lances livres (*)George Gervin (2) • David Robinson (4) • Manu Ginóbili18Diversas datasDiversos adversários
Arremessos de 3 ptsChuck Person930/12/1997Vancouver Grizzlies
(*) Confira os detalhes dos recordes nos lances livres aqui.

voltar ao topo da página ↑

Ídolos e jogadores notáveis do San Antonio Spurs

JogadorAltura (m)Posição#NascimentoFalecimentoDeAtéPts.*Reb.*Ast.*Campeão**
James Silas1,8511311/02/1949--1972198116,73,23,9--
George Gervin2,012 e 34427/04/1952--1973198526,35,42,8--
Larry Kenon2,063 e 43513/12/1952--1975198020,710,33,0--
Mike Mitchell2,0133401/01/195609/06/20111981198820,15,51,4--
Artis Gilmore2,1855321/09/1949--1982198716,19,71,5--
Alvin Robertson1,9122122/07/1962--1984198916,25,4,5,4--
David Robinson2,1655006/08/1965--1989200321,110,62,52 vezes
Sean Elliot2,0333202/02/1968--1989/19941993/200114,44,42,51 vez
Terry Cummings2,063 e 43415/03/1961--1989199514,07,01,6--
Avery Johnson1,78115/625/03/1965--91/92/9491/93/0110,12,06,91 vez
Dennis Rodman2,0141013/05/1961--199319955,617,12,2--
Tim Duncan2,114 e 52125/04/1976--1997201619,010,83,05 vezes
Tony Parker1,881917/05/1982--2001201716,22,85,84 vezes
Manu Ginóbili1,9822028/07/1977--2002201713,63,63,94 vezes
Kawhi Leonard2,013229/06/1991--2011201716,46,22,31 vez
* por partida, defendendo a franquia / ** defendendo a franquia

Estatísticas obtidas no site Basketball Reference.

voltar ao topo da página ↑

Rivalidades

Dallas Mavericks

A rivalidade entre San Antonio Spurs e Dallas Mavericks tem raízes históricas, geográficas e esportivas. A franquia sediada em San Antonio desde 1973 era originalmente o Dallas Chaparrals, integrante da ABA, mas não atraía torcedores a suas partidas. Foi justamente a rejeição da população de Dallas que determinou a mudança da franquia para San Antonio, onde teve o sucesso que todos conhecem. Anos mais tarde, apenas Dallas, dentre as três principais cidades do Texas, não tinha um representante na NBA. Quando a liga admitiu a entrada do recém criado Dallas Mavericks na liga em 1980, a recepção da torcida local foi muito mais calorosa do que a dispensada ao Chaparrals. O resultado dessa história com traços de mágoa e inveja é o início da rivalidade entre as duas franquias mesmo antes do primeiro pulo-bola.

Além das franquias estarem localizadas no mesmo estado, o que naturalmente já aumenta a rivalidade entre as equipes, ambas disputam a mesma divisão desde quando o Mavericks foi admitido na liga (Meio-Oeste, entre as temporadas 1980-81 e 2003-04 e Sudoeste, desde a temporada 2004-05). Ao lado do Houston Rockets, o San Antonio Spurs é a equipe que o Dallas Mavericks mais enfrentou na temporada regular, com significativa vantagem para o Spurs (97 vitórias e 65 derrotas em janeiro de 2015). O Mavericks conseguiu ser campeão de sua divisão em apenas três oportunidades, enquanto Spurs realizou o feito nada menos do que 18 vezes. Em confrontos na pós-temporada a balança também pende para a franquia de San Antonio: em seis disputas nos playoffs o Spurs eliminou o Mavericks quatro vezes, vencendo ao todo 20 partidas e perdendo 16. Aliás, nenhuma outra franquia eliminou o Mavs mais vezes do que o San Antonio Spurs.

Houston Rockets

Apesar de terem disputado apenas três séries de playoffs ao longo de quase quatro décadas, todas vencidas pelo Houston Rockets, as duas franquias texanas são grandes rivais em razão das disputas na temporada regular e da proximidade geográfica (pouco mais do que 300 km separa as cidades). O fato de ambas terem sido fundadas no mesmo ano, 1967, também sempre foi motivo para especulações por parte dos torcedores sobre qual das franquias venceria um campeonato primeiro e qual seria a mais bem-sucedida. Hoje as duas perguntas já foram respondidas: o Rockets venceu seus primeiro campeonato em 1994, cinco anos antes que o Spurs; em compensação, a equipe de Houston tem apenas dois troféus de campeã da NBA, enquanto o San Antonio Spurs já colecionou cinco.

A rivalidade entre as franquias também ganhou um tempero especial nos playoffs de 1995, quando seus caminhos se cruzaram na final da Conferência Oeste e cada uma delas contava com um dos melhores pivôs que já atuaram na NBA: David Robinson pelo San Antonio Spurs e Hakeem Olajuwon pelo Houston Rockets. O Spurs havia feito uma campanha sensivelmente melhor do que o Rockets na temporada regular (62-20 contra 47-35) e Robinson tinha sido eleito o MVP da temporada, o que tornava a equipe de San Antonio favorita.

Mas dentro da quadra o favoritismo não se confirmou, muito graças às atuações fantásticas de Olajuwon, que além de distribuir tocos e apanhar rebotes, ainda usou seu inigualável trabalho de pernas para despejar dezenas de pontos na cabeça de um Robinson que às vezes parecia nem entender o que estava acontecendo (vídeo: petch34). O Rockets despachou o rival texano (4 a 2) e viria a conquistar seu segundo título varrendo o Orlando Magic de Shaquille O’Neal na final.

Los Angeles Lakers

O Los Angeles Lakers é a franquia que o San Antonio Spurs mais enfrentou na pós temporada. Ao todo foram 12 disputas de séries de playoffs, com final feliz para a equipe californiana em oito oportunidades. Mas a rivalidade ganhou contornos bem mais nítidos a partir de 1999, quando o Spurs começou a vencer campeonatos. Daquele ano até 2014, em somente três oportunidades nenhuma das duas franquias esteve presente nas finais da NBA, tendo cada equipe sagrado-se campeã cinco cinco vezes.

Denver Nuggets

A equipe do Texas cruzou o caminho do Denver Nuggets em seis séries de playoffs, com desfecho favorável para o San Antonio Spurs em cinco oportunidades. Além de ser eliminado mais vezes nesses confrontos de pós-temporada contra o time de San Antonio, o Nuggets venceu apenas seis partidas e perdeu 20, o que torna o Spurs uma das maiores pedras no sapato da equipe do Colorado.

Miami Heat

O Miami Heat entrou no rol de rivais da franquia texana em 2013, quando o San Antonio Spurs voltou à série final da NBA, o que não acontecia desde 2007. Naquela oportunidade o Spurs varreu (4 a 0) o Cleveland Cavaliers, franquia então defendida por LeBron James, acusado por parte da imprensa norte-americana e por torcedores do próprio Cavs de ter “amarelado” na série final. Assim, em 2013, apesar de se tratar de uma final inédita, havia um gosto de revanche no ar. Novamente o Miami Heat chegou à final com a vantagem de mando de quadra por ter feito melhor campanha na temporada regular (66-16 contra 58-24 do Spurs), mas a equipe texana começou a série vencendo em plena American Airlines Arena e chegou à sexta partida com vantagem de 3 a 2 e a chance de se sagrar campeã em Miami.

Nos segundos finais do último quarto o San Antonio Spurs vencia por 95 a 92, quando Chris Bosh pegou o rebote de um arremesso errado de LeBron James e passou para Ray Allen na zona morta empatar a partida com um arremesso de três pontos. Torcedores do Heat, que já haviam abandonado a arena dando a derrota como certa, tentaram retornar para acompanhar a prorrogação, sem sucesso. O arremesso de Allen não só empatou a partida como incendiou a torcida presente e abalou a confiança da experiente equipe do Spurs. O placar final (Spurs 100 x 103 Heat) garantiu a realização da sétima partida.

O jogo que decidiu a série e, consequentemente, o título, foi quase tão eletrizante quanto o anterior. Faltando somente 39 segundos para o final da partida o placar marcava 90 a 88 para o Miami Heat e quem assumiu a responsabilidade de decidir foi justamente o jogador acusado de amarelar perante o Spurs em 2007 com a camisa do Cavs. Quatro pontos de LeBron James e um de Dwyane Wade deram números finais ao placar: Spurs 88 x 95 Heat. Pela primeira vez em sua história o San Antonio Spurs perdia uma final da NBA.

No ano seguinte a mesma final foi reeditada, mas desta vez o San Antonio Spurs chegou às finais com a vantagem de ter realizado a melhor campanha na temporada regular (62-20 contra 54-28 do Heat). Entretanto, com um jogo mais coletivo e organizado, o Spurs não precisou fazer uso de todos seus quatro mandos de jogos para conquistar o quinto título da franquia, fechando a série em 4 a 1 e comemorando diante de sua torcida. Kawhi Leonard foi eleito o MVP das finais e Gregg Popovich recebeu pela terceira vez em sua carreira o prêmio de técnico do ano. Apesar de ter abusado dos turnovers, LeBron James teve grande atuação na série final contra o Spurs (28.2 pontos, 7.8 rebotes e 4.0 assistências por partida), mas não foi acompanhado pelos companheiros de equipe. Após a perda do título para o Spurs, o “King James” decidiu transferir seu reino de volta para Cleveland, levando com ele boa parte do seu séquito de fãs. Sem o astro, o Miami Heat deixou automaticamente de ser um candidato ao título para se tornar uma equipe que já vê como lucro a conquista de vaga nos playoffs.

voltar ao topo da página ↑