Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Oklahoma City Thunder

Oklahoma City Thunder

Oklahoma City Thunder

O Oklahoma City Thunder integra a Divisão Noroeste da Conferência Oeste da NBA. Criada em 1967 como Seattle SuperSonics, teve um dos melhores inícios dentre as chamadas franquias de expansão: disputou sua primeira final em 1978 e conquistou seu único campeonato no ano seguinte. Chegou à final novamente em 1996, mas não foi páreo para o Chicago Bulls. Em 2008 deixou o estado de Washington rumo à capital de Oklahoma, onde tem feito boas temporadas com a ajuda de Kevin Durant e Russell Westbrook. O Oklahoma City Thunder ainda busca seu primeiro título com a nova identidade, o que quase aconteceu em 2012, quando foi derrotado na final pelo Miami Heat.




Origens

O Oklahoma City Thunder só existe desde 2008, mas a franquia foi criada há muito mais tempo, em 1967, quando a NBA promoveu seu terceiro programa de expansão. Naquela oportunidade foram admitidos na liga o San Diego Rockets (atual Houston Rockets), e o Seattle SuperSonics, franquia estabelecida no estado de Washington, na região noroeste dos EUA, quase na fronteira com o Canadá. Adotando as cores verde, amarela e branca, o SuperSonics recebeu este nome porque a empresa Boeing, que tinha sede em Seattle, havia sido recentemente escolhida para desenvolver o projeto de um avião supersônico subsidiado pelo governo norte-americano. O projeto acabou sendo cancelado em 1971 devido aos altos custos, mas o nome da franquia foi mantido durante praticamente quatro décadas.

Com o nome SuperSonics a franquia disputou três finais da NBA e conquistou um título, além de ter alcançado a marca de 15 temporadas consecutivas (de 1987-88 a 2001-02) com aproveitamento igual ou superior a 50% na temporada regular, desempenho que na época era inferior somente ao do Boston Celtics da era Red Auerbach & Bill Russell (19 temporadas consecutivas, de 1050-51 a 1968-69). Ao mesmo tempo que o mundo da música prestava atenção no movimento grunge surgido nos anos 1990 em Seattle, os olhares de todos que gostavam de basquete também se voltaram para mesma direção.

Na década de 2000 o desempenho da equipe caiu bastante. Paralelamente, os donos da franquia, representados por Howard Schultz, que também era proprietário da rede Starbucks, tinham interesse em que a prefeitura de Seattle investisse na expansão e modernização da Key Arena, arena municipal onde o SuperSonics mandava suas partidas. Várias tratativas sobre o assunto foram mantidas, mas nunca chegaram a lugar algum. Em 2006 Schultz decidiu vender a franquia para um grupo de investidores liderados por Clay Bennett, nascido e criado em Oklahoma City, que, ao menos da boca para fora, tinha a intenção de mantê-la em Washington. Contudo, a necessidade de uma arena mais moderna e com maior capacidade permanecia, da mesma maneira que a prefeitura de Seattle continuava reticente em investir dinheiro público nas obras necessárias para resolver o problema. O que o prefeito de Seattle não sabia é que a solução, muito conveniente para os proprietários da franquia, estava prestes a surgir no horizonte, bem como o pretexto ideal para adotá-la.

Em agosto de2005, às vésperas do início da temporada, o furacão Katrina devastou o sul dos EUA, forçando o então New Orleans Hornets, atual New Orleans Pelicans, a buscar uma sede temporária, já que cidade berço do jazz havia sido um das mais afetadas pela catástrofe natural. Assim, durante as temporadas 2005-06 e 2006-07 o Pelicans utilizou a Ford Arena (atual Chesapeake Energy Arena), retornando para Luisiana em 2007. A Ford Arena teve excelente público enquanto foi casa do Hornets, fato que despertou o interesse da NBA em ter uma franquia atuando em Oklahoma City e foi a deixa para Bennett manifestar a intenção de levar a franquia para sua terra natal.

A NBA aprovou a mudança de sede (apenas duas das 30 franquias foram contra), mas havia outras questões a serem superadas antes da franquia poder desembarcar em Oklahoma. O Seattle SuperSonics havia firmado um contrato de locação da Key Arena até 2010 e o relacionamento com a prefeitura de Seattle, que já não era das mais amistosas, piorou quando foi anunciado que a franquia estava de mudança. Os torcedores do Sonics se sentiam roubados e enganados. Acusavam os proprietários de terem a intenção de levar a franquia para Oklahoma desde o início, o prefeito de Seattle de, no mínimo, ser um péssimo negociador e o comissário da NBA, David Stern, de colocar o dinheiro à frente da história e da tradição.

Seguiu-se uma acirrada e complexa batalha judicial entre a cidade de Seattle, apoiada por dezenas de milhares de torcedores furiosos, e a empresa de Bennett. Howard Schultz também processou Clay Bennett argumentando que lhe vendeu a franquia sob a promessa de que ele permaneceria em Seattle. Um ótimo documentário chamado Sonicsgate – Requiem for a Team (veja trailer ao lado) foi produzido em 2009 relatando todos os nebulosos eventos que fizeram Seattle perder a única equipe campeã que já tivera até então (somente em 2013 o Seattle Seahawks, equipe de futebol americano da NFL, ganhou seu primeiro campeonato).

Em 2008 o processo foi extinto depois que as partes entraram em um acordo pelo qual a franquia pagou uma indenização de US$ 45 milhões à prefeitura de Seattle pelo rompimento do contrato de locação da Key Arena. Schultz perdeu o processo contra Bennett e em 2008 a franquia fez sua primeira temporada usando o nome Oklahoma City Thunder.

Como parte do acordo que colocou fim ao litígio, à cidade de Seattle ficou reservado o direito de usar as cores verde, amarela e branca se um dia voltar a ser sede de outra franquia de basquete da NBA, mas todos os recordes e toda a história do Sonics foram legalmente transferidos para Oklahoma City. Já o Oklahoma City Thunder adotou três uniformes diferentes: um predominantemente azul claro, outro branco e um terceiro, alternativo, azul escuro (laranja na temporada 2015-16).

No início da temporada 2014-15 foi anunciado que as franquias campeãs da NBA teriam o direito de usar uma aba amarela no uniforme. Pelo acordo firmado entre Bennett e a prefeitura de Seattle, o Oklahoma City Thunder tinha o direito de usar a aba de campeão na gola da camiseta, mas para alívio dos torcedores do finado Sonics, a franquia teve o bom senso de não fazê-lo.

De toda esta confusão, uma coisa é certa: Howard Schultz, Clay Bennett e David Stern não estão entre as pessoas mais populares em Seattle.

voltar ao topo da página ↑

Localização do Oklahoma City Thunder

Desde 2008 a franquia está localizada na capital do estado de Oklahoma. Apesar da mudança de Seattle, no estado de Washington, para Oklahoma City, no centro-sul dos EUA, o Oklahoma City Thunder continuou ocupando a vaga do Seattle SuperSonics na Divisão Noroeste. manda suas partidas na Chesapeake Energy Arena (100 West Reno • Avenue Oklahoma City, OK • 73102), construída em 2002 com capacidade para 18.203 torcedores.

Oklahoma City, Oklahoma, EUA

voltar ao topo da página ↑

Recordes do Oklahoma City Thunder

Raio-X da franquia

Raio-X 
Temporadas na NBA50
Participações nos playoffs29
Títulos da NBA1
Títulos de Conferu00eancia4
1ª colocação na Conferência4
1ª colocação na Divisão11
Vitórias/derrotas na temporada regular2.186/1.866 (53,9%)

Maiores sequências na temporada regular

SequênciaPartidasTemporada
Vitórias141995-96
Derrotas14 (2)2007-08 e 2008-09

Melhor e pior campanha na temporada regular

TemporadaCampanha%Pós-temporada
1995-9664-1878,0Vice-campeão da NBA
2007-0820-6224,4--

Só o sistema de franquias que impera no bem-sucedido modelo norte-americano de esportes profissionais poderia criar uma situação como essa, relativamente frequente: o recorde na temporada regular do Oklahoma City Thunder na verdade não é do Oklahoma City Thunder. Foi obtido por uma equipe com outro uniforme, diante de outros torcedores, em uma cidade localizada a quase 3 mil Km de distância de Oklahoma City.

Apesar do único título da franquia ter sido conquistado em 1979, foi na temporada 1995-96 que o Seattle SuperSonics de Gary Payton, Hersey Hawkins, Detlef Schrempf, Sam Perkins e Shawn Kemp, conduzido pelo técnico  George Karl, levou a franquia a obter seu melhor desempenho na temporada regular: 64 vitórias e 18 derrotas, um aproveitamento de 78%. A boa campanha foi confirmada na pós-temporada, quando o Sonics sagrou-se campeão da Conferência Oeste despachando o Utah Jazz de Karl Malone e John Stockton numa série disputadíssima (4 a 3). E se na final não tivessem que enfrentar Michael Jordan & Cia, muito provavelmente teriam levado o segundo troféu da NBA para Seattle. Mesmo assim deram trabalho para o Chicago Bulls, que apesar de vencer as três primeiras partidas teve que suar muito para fechar a série em 4 a 2.

A melhor campanha da franquia depois de adotar o nome Oklahoma City Thunder foi de 60 vitórias e 22 derrotas, na temporada 2012-13 (73,2%). Naquela oportunidade não foi longe nos playoffs: foi eliminada pelo Memphis Grizzlies por 4 a 1 nas semifinais da Conferência Oeste.

Recordes totais

EstatísticaJogadorRecorde
PontosGary Payton18.207
RebotesJack Sikma7.729
AssistênciasGary Payton7.384
Roubos de bolaGary Payton2.107
BloqueiosSerge Ibaka1.300
Lances livresKevin Durant4.599
Arremessos de 3 ptsKevin Durant1.143
PartidasGary Payton999

Recordes – médias por partida

EstatísticaJogadorRecorde
PontosKevin Durant27,4
RebotesSpencer Haywood12,1
AssistênciasLenny Wilkens9,0
Roubos de bolaSlick Watts2,5
BloqueiosSerge Ibaka2,5
MinutosSpencer Haywood40,4

Recordes em uma única partida

EstatísticaJogadorRecordeDataAdversário
PontosFred Brown • Russell Westbrook5823/03/1974 • 07/03/2017Golden State Warriors • Portland Trail Blazers
RebotesChris Wilcox2404/04/2006Houston Rockets
Assistências Nate McMillan2523/02/1987Los Angeles Clippers
Roubos de bola *Gary Payton (2)818/12/1993 e 26/03/1999Golden State Warriors e Los Angeles Clippers
BloqueiosSerge Ibaka1119/02/2012Denver Nuggets
Lances livres Kevin Durant2423/01/2009Los Angeles Clippers
Arremessos de 3 ptsDale Ellis920/04/1990Los Angeles Clippers
* Gary Payton divide este recorde com Gus Williams, Nate McMillan e Russell Westbrook. Confira os detalhes no Basketball Reference.

voltar ao topo da página ↑

Ídolos e jogadores notáveis do Oklahoma City Thunder

JogadorAltura (m)Posição#NascimentoDeAtéPontos*Rebotes*Assistências*Campeão**
Lenny Wilkens1,8511928/10/19371968197219,55,09,0--
Spencer Haywood2,0342422/04/19491970197524,912,12,4--
Fred Brown1,901 e 23207/08/19481971198414,62,73,31 vez
Gus Williams1,881 e 2110/10/19531977198420,33,06,01 vez
Jack Sikma2,1154314/11/19551977198616,810,83,31 vez
Tom Chambers2,0842421/06/19591983198821,97,02,5--
Xavier McDaniel2,013 e 43404/06/19631985199020,77,02,5--
Dale Ellis2,012 e 33/906/08/19601986/19971991/199920,93,92,0--
Shawn Kemp2,084 e 54026/11/19691989199716,29,61,8--
Gary Payton1,9312/2023/07/19681990200318,24,27,4--
Detlef Schrempf2,063 e 41121/01/19631993199916,66,34,0--
Ray Allen1,9623420/07/19752003200724,64,64,2--
Rashard Lewis2,083 e 4708/08/19791998200716,65,81,7--
Kevin Durant2,062 e 33529/09/19882007201627,47,03,7--
Russell Westbrook1,911012/11/19882008201722,76,97,9--
* por partida, defendendo a franquia / ** defendendo a franquia

voltar ao topo da página ↑

Rivalidades

Talvez o rompimento do Oklahoma City Thunder com a história da franquia construída ao longo dos mais de 40 anos em Seattle seja o mais drástico já verificado na NBA. Toda franquia que muda de sede deixa um número enorme de torcedores frustrados e ressentidos, mas geralmente algum elo com o passado é preservado. É o caso do Atlanta Hawks, que mesmo peregrinando por Milwaukee, St. Louis e depois se instalando na Georgia, sempre manteve o nome Hawks. Ou do Los Angeles Lakers, antigo Minneapolis Lakers, que também preservou o nome original mesmo depois de se transferir para onde não havia lago algum. Ou ainda do Golden State Warriors, originalmente chamado Philadelphia Warriors e depois San Francisco Warriors, que além de manter o nome depois de atravessar o país praticamente de costa a costa, ainda homenageia jogadores que nunca atuaram pela franquia depois que ela adotou Oakland como sede, como Wilt Chamberlain, Tom Meschery e Al Attles.

Diante desta ruptura radical com o passado, torna-se quase uma obrigação de quem toca neste assunto fazer uma separação entre os rivais do Seattle SuperSonics e do Oklahoma City Thunder.

Washington Bullets x Seattle SuperSonics

Em 1978, dez anos após ingressar na NBA, o Seattle SuperSonics chegou a sua primeira final depois de se sagrar campeão da Conferência Oeste. Teve como adversário o Washington Bullets, atual Washington Wizards, e mesmo tendo a vantagem do mando de quadra, acabou perdendo o título em casa na sétima partida. No ano seguinte as duas franquias se encontraram novamente na final, mas desta vez a equipe de Seattle levou a melhor e sem muito sofrimento: o Bullets venceu a primeira partida e depois perdeu as quatro seguintes, levantando o caneco diante da torcida adversária.

Denver Nuggets x Seattle SuperSonics

Enquanto esteve em Seattle, a franquia somente disputou séries de playoffs com o Denver Nuggets em três oportunidades. A primeira foi nas finais da Conferência Oeste de 1978, série vencida pelo Sonics por 4 a 2. A segunda aconteceu na primeira rodada dos playoffs de 1988, quando o Nuggets saiu vitorioso (3 a 2). Mas foi no terceiro e último confronto, na primeira rodada dos playoffs de 1994, que uma enorme rivalidade surgiu entre as franquias.

O Sonics chegava como franco favorito para a disputa da série no formato 2-2-1 e do campeonato, pois tinha um elenco talentoso e balanceado, com a quinta melhor defesa e o quinto melhor ataque na temporada regular. Este equilíbrio lhe garantiu a melhor campanha não somente da Conferência Oeste (63/19), mas entre todas as 27 equipes da NBA. Já o Nuggets se classificou para os playoffs em oitavo lugar com uma campanha muito inferior (42/40) e um elenco jovem e pouco experiente. Seu ataque era apenas o 19º, mas, em compensação, a defesa comandada pelo pivô Dikembe Mutombo era a 10ª.

A série começou como a mídia e boa parte dos torcedores, inclusive do Nuggets, previam: um passeio do Sonics, que fez 2 a 0 fazendo valer seu mando de quadra. Quando a série foi para Denver, para surpresa geral, o Nuggets venceu ambas partidas e empatou a série em 2 a 2. No quinto e decisivo jogo, disputado em Seattle, o Denver Nuggets derrotou o favorito Sonics por 98 a 94 após uma prorrogação e entrou para a história da NBA como a primeira franquia classificada em oitavo lugar que eliminou o primeiro colocado da sua conferência (vídeo: NBA channel).

Los Angeles Lakers x Seattle SuperSonics

 O Los Angeles Lakers foi a franquia que o Seattle SuperSonics mais vezes enfrentou na pós temporada. Foram sete disputas entre as equipes, com boa vantagem em favor do Lakers, que eliminou o rival em cinco ocasiões (veja abaixo). As duas únicas vezes em que o Sonics levou a melhor sobre o Lakers foi no final da década de 1970 e os confrontos são de triste lembrança para os torcedores californianos, já que em ambas ocasiões o Lakers foi eliminado na primeira rodada dos playoffs. Mas daí pra frente, o Sonics pagou caro pelo “atrevimento” de ter tirado o já multicampeão do páreo duas vezes seguidas.

Clique para conferir os confrontos em playoffs entre SuperSonics e Lakers

 

Memphis Grizzlies x Oklahoma City Thunder

A história do Oklahoma City Thunder, com esta sua nova identidade, é bem curta, tem menos de uma década. Mas já é suficiente para identificar uma rivalidade com a franquia do Tennessee que promete ganhar vários capítulos. E a vantagem, pelo menos no que diz respeito aos confrontos na pós-temporada, é do Thunder. Em 2011 o Oklahoma City Thunder bateu o Grizzlies na semifinal da Conferência Oeste por 4 a 3. Dois anos depois o Grizzlies deu o troco, eliminando o rival na mesma etapa dos playoffs com quatro vitórias e apenas uma derrota. O desempate veio em 2014, logo na primeira rodada da pós-temporada, quando o Thunder de Kevin Durant e Russell Westbrook precisou de sete partidas para se ver livre do Grizzlies numa série disputadíssima.

voltar ao topo da página ↑

As estatísticas dos jogadores mencionadas neste artigo foram obtidas no site Basketball Reference.
error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.