Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

New York Knicks

New York Knicks

New York Knicks

O New York Knicks integra a Divisão do Atlântico da Conferência Leste da NBA. Sua criação em 1946 tem estreita relação com a fundação da própria NBA, o que a torna uma das franquias mais tradicionais da liga. Foi duas vezes campeã nos anos 1970 e, embora não dispute uma final desde 1994, continua mantendo uma torcida fanática que lota o Madison Square Garden em praticamente todas as partidas. Em 2014 o ex-técnico Phil Jackson, 11 vezes campeão da NBA, foi nomeado presidente do New York Knicks com a missão de montar uma equipe vitoriosa.

Origens

Em 1946, um grupo de empresários se reuniu em Nova Iorque para discutir a formação da BAA (Basketball Association of America), liga profissional de basquete que foi o embrião da NBA que conhecemos hoje. Uma das franquias necessariamente teria sede na Big Apple, que já era a maior potência econômica do país, e o Madison Square Garden, até então utilizado principalmente para abrigar lutas de boxe e partidas de hóquei, era a escolha natural para ser palco da equipe local. De acordo com um regulamento que, entre outras coisas, disciplinava a utilização das arenas esportivas nos EUA, para que a equipe nova-iorquina pudesse mandar suas partidas no MSG era imprescindível que os proprietários da arena também fossem os donos da franquia. Assim, coube ao gerente do MSG, Ned Irish, batizar e gerenciar a franquia da cidade onde funciona o quartel general da NBA há quase 70 anos.

O nome escolhido por Irish foi inspirado em uma obra do escritor Washington Irving. Usando o pseudônimo de Diedrich Knickerbocker, Irving publicou em 1809 o livro A History of New York from the Beginning of the World to the End of the Dutch Dynasty, que satirizava a história e os costumes dos colonizadores holandeses na região onde a cidade de Nova Iorque se desenvolveu. O livro fez muito sucesso e com o passar do tempo o termo “Knickerbocker”, sobrenome do crítico e bem-humorado autor inventado por Irving, se tornou sinônimo de cidadão nova-iorquino. Considerando tudo isso, a franquia foi batizada de New York Knickerbockers, nome que acabou sendo abreviado no dia a dia para New York Knicks.

Na esteira do nome escolhido, o Knicks adotou as mesmas cores da flâmula holandesa conhecida como Bandeira do Príncipe, utilizada por Guilherme I durante o longo período em que as províncias que hoje constituem a Holanda lutaram contra o domínio espanhol. Não por acaso as cores laranja, branco e azul também estão na bandeira da cidade de Nova Iorque.

voltar ao topo da página ↑

Localização do New York Knicks

New York Knicks sempre esteve localizado na cidade de Nova Iorque, mas o Madison Square Garden, arena que homenageia o quarto presidente dos EUA, James Madison, e é a casa da franquia, já “peregrinou” bastante por Manhattan. O primeiro endereço da arena, entre 1879 e 1925, foi a intersecção entre a Broadway, a 5th Ave e a 23rd St, ocupando parte da área onde atualmente está o Madison Square Park. Em 1925 uma nova arena com o mesmo nome foi construída na 8th Ave, entre a 49th St e a 50th St, bem longe do endereço original. Foi essa segunda “versão” do MSG que assistiu o surgimento da NBA e do New York Knicks, mas nunca testemunhou um título da franquia.

No ano de 1968 parte da Pennsylvania Station deu lugar a um novo Madison Square Garden em seu terceiro e definitivo endereço (4 Pennsylvania Plaza • Manhattan • New York City, New York • 10001). Dois anos após a inauguração da nova casa, o Knicks finalmente ganhou seu primeiro título da NBA, feito que conseguiu repetir em 1973. Além dos únicos títulos do Knicks, o MSG também foi palco de shows antológicos das maiores bandas de rock de todos os tempos, como The Doors, Rolling Stones, Led Zeppelin, Black Sabbath, Kiss, Jethro Tull, entre outras.

O MSG já passou por duas amplas reformas visando a modernização da arena, a última concluída em 2013.

New York, New York, EUA

New York, New York, EUA

voltar ao topo da página ↑

Campanhas do New York Knicks

TemporadaLigaNomeVDV/D%1º round - playoffs2º round - playoffs3º round - playoffsFinais - playoffs
2016-17NBANew York Knicks315137,8--------
2015-16NBANew York Knicks325039,0--------
2014-15NBANew York Knicks176520,7--------
2013-14NBANew York Knicks374545,1--------
2012-13NBANew York Knicks542865,94-2 (Celtics)2-4 (Pacers)----
2011-12NBANew York Knicks363054,51-4 (Heat)------
2010-11NBANew York Knicks424051,20-4 (Celtics)------
2009-10NBANew York Knicks295335,4--------
2008-09NBANew York Knicks325039,0--------
2007-08NBANew York Knicks235928,0--------
2006-07NBANew York Knicks334940,2--------
2005-06NBANew York Knicks235928,0--------
2004-05NBANew York Knicks334940,2--------
2003-04NBANew York Knicks394347,60-4 (Nets)------
2002-03NBANew York Knicks374545,1--------
2001-02NBANew York Knicks305236,6--------
2000-01NBANew York Knicks483458,52-3 (Raptors)------
1999-00NBANew York Knicks503261,03-0 (Raptors)4-3 (Heat)2-4 (Pacers)--
1998-99NBANew York Knicks272354,03-2 (Heat)4-0 (Hawks)4-2 (Pacers)1-4 (Spurs)
1997-98NBANew York Knicks433952,43-2 (Heat)1-4 (Pacers)----
1996-97NBANew York Knicks572569,53-0 (Hornets)3-4 (Heat)----
1995-96NBANew York Knicks473557,33-0 (Cavaliers)1-4 (Bulls)----
1994-95NBANew York Knicks552767,13-1 (Cavaliers)3-4 (Pacers)----
1993-94NBANew York Knicks572569,53-1 (Nets)4-3 (Bulls)4-3 (Pacers)3-4 (Rockets)
1992-93NBANew York Knicks602273,23-1 (Pacers)4-1 (Hornets)2-4 (Bulls)--
1991-92NBANew York Knicks513162,23-2 (Pistons)3-4 (Bulls)----
1990-91NBANew York Knicks394347,60-3 (Bulls)------
1989-90NBANew York Knicks453754,93-2 (Celtics)1-4 (Pistons)----
1988-89NBANew York Knicks523063,43-0 (Sixers)2-4 (Bulls)----
1987-88NBANew York Knicks384446,31-3 (Celtics)------
1986-87NBANew York Knicks245829,3--------
1985-86NBANew York Knicks235928,0--------
1984-85NBANew York Knicks245829,3--------
1983-84NBANew York Knicks473557,33-2 (Pistons)3-4 (Celtics)----
1982-83NBANew York Knicks443853,72-0 (Nets)0-4 (Sixers)----
1981-82NBANew York Knicks334940,2--------
1980-81NBANew York Knicks503261,00-2 (Bulls)------
1979-80NBANew York Knicks394347,6--------
1978-79NBANew York Knicks315137,8--------
1977-78NBANew York Knicks433952,42-0 (Cavaliers)0-4 (Sixers)----
1976-77NBANew York Knicks404248,8--------
1975-76NBANew York Knicks384446,3--------
1974-75NBANew York Knicks404248,81-2 (Rockets)------
1973-74NBANew York Knicks493359,84-3 (Bullets)1-4 (Celtics)X--
1972-73NBANew York Knicks572569,54-1 (Bullets)4-3 (Celtics)X4-1 (Lakers)
1971-72NBANew York Knicks483458,54-2 (Bullets)4-1 (Celtics)X1-4 (Lakers)
1970-71NBANew York Knicks523063,44-1 (Hawks)3-4 (Bullets)X--
1969-70NBANew York Knicks602273,24-3 (Bullets)4-1 (Bucks)X4-3 (Lakers)
1968-69NBANew York Knicks542865,94-0 (Bullets)2-4 (Celtics)X--
1967-68NBANew York Knicks433952,42-4 (Sixers)--X--
1966-67NBANew York Knicks364544,41-3 (Celtics)--X--
1965-66NBANew York Knicks305037,5----X--
1964-65NBANew York Knicks314938,8----X--
1963-64NBANew York Knicks225827,5----X--
1962-63NBANew York Knicks215926,3----X--
1961-62NBANew York Knicks295136,3----X--
1960-61NBANew York Knicks215826,6----X--
1959-60NBANew York Knicks274836,0----X--
1958-59NBANew York Knicks403255,60-2 (Nationals)--X--
1957-58NBANew York Knicks353748,6----X--
1956-57NBANew York Knicks363650,0----X--
1955-56NBANew York Knicks353748,6----X--
1954-55NBANew York Knicks383452,81-2 (Celtics)--X--
1953-54NBANew York Knicks442861,1----X--
1952-53NBANew York Knicks472367,12-0 (Bullets)3-1 (Celtics)X1-4 (Lakers)
1951-52NBANew York Knicks372956,12-1 (Celtics)3-1 (NationalsX3-4 (Lakers)
1950-51NBANew York Knicks363054,52-0 (Celtics)3-2 (Nationals)X3-4 (Royals)
1949-50NBANew York Knicks402858,82-0 (Capitols)1-2 (Nationals)X--
1948-49BAANew York Knicks322853,32-1 (Bullets)1-2 (Capitols)X--
1947-48BAANew York Knicks262254,21-2 (Bullets)--X--
1946-47BAANew York Knicks332755,02-1 (Rebels)0-2 (Warriors)X--

voltar ao topo da página ↑

Recordes do New York Knicks

Raio-X da franquia

Raio-X 
Temporadas na NBA71
Participações nos playoffs42
Títulos da NBA2
Títulos de Conferência7
1ª colocação na Conferência2
1ª colocação na Divisão8
Vitórias/derrotas na temporada regular2.732/2.825 (49,2%)

Maiores sequências na temporada regular

SequênciaPartidasTemporada
Vitórias181969-70
Derrotas201984-85/1985-86

Melhor e pior campanha na temporada regular

TemporadaV/D%Pós-temporada
1969-70 • 1992-9360-2273,2Campeão • Vice-campeão da Conf. Leste
2014-1517-6520,7--

Recordes totais

EstatísticaJogadorRecorde
PontosPatrick Ewing23.665
RebotesPatrick Ewing10.759
AssistênciasWalt Frazier4.791
Roubos de bolaPatrick Ewing1.061
BloqueiosPatrick Ewing2.758
Lances livresPatrick Ewing5.126
Arremessos de 3 ptsJohn Starks982
PartidasPatrick Ewing1.039

Recordes – médias por partida

EstatísticaJogadorRecorde
PontosBob McAdoo26,7
RebotesWalt Bellamy13,3
AssistênciasMark Jackson8,0
Roubos de bolaMicheal Ray Richardson2,6
BloqueiosPatrick Ewing2,7
MinutosBob McAdoo39,8

Recordes em uma única partida (inclui partidas de playoffs)

EstatísticaJogadorRecordeDataAdversário
PontosCarmelo Anthony6224/01/2014Charlotte Bobcats
RebotesTyson Chandler2827/02/2013Golden State Warriors
Assistências Chris Duhon2229/11/2008Golden State Warriors
Roubos de bola Chris McNealy • Sergio Rodriguez804/03/1986 • 22/02/2010Washington Bullets • Milwaukee Bucks
BloqueiosDikembe Mutombo1004/01/2004New Jersey Nets
Lances livres Bernard King2225/12/1984New Jersey Nets
Arremessos de 3 ptsJ. R. Smith1006/04/2014Miami Heat

voltar ao topo da página ↑

Ídolos e jogadores notáveis do New York Knicks

JogadorAltura (m)Posição#NascimentoFalecimentoDeAtéPontos*Rebotes*Assistências*Campeão**
Carl Braun1,961 e 2425/09/192710/02/20101947196114,13,63,8--
Harry Gallatin1,983 e 41126/04/192707/10/20151948195712,712,11,8--
Richie Guerin1,932929/05/1932--1956196420,16,45,3--
Willis Reed2,054 e 51925/06/1942--1964197418,712,91,82 vezes
Bill Bradley1,9632428/07/1943--1967197712,43,23,42 vezes
Walt Frazier1,9311029/03/1945--1967197719,36,16,32 vezes
Dave DeBusschere1,983 e 42216/10/194014/05/20031968197416,111,22,62 vezes
Earl Monroe1,901 e 233/1521/11/1944--1971198016,22,63,52 vezes
Bob McAdoo2,054 e 51125/09/1951--1976197926,712,03,3--
Bill Cartwright2,1652530/07/1957--1979198816,87,11,5--
Bernard King2,0033004/12/1957--1982198726,55,22,8--
Patrick Ewing2,1353305/08/1962--1985200022,810,42,0--
Mark Jackson1,8511301/04/1965--1987/20011992/200211,18,01,4--
Charles Oakley2,034 e 5 3418/12/1963--1988199810,410,02,3--
John Starks1,902310/08/1965--1990199814,12,74,0--
Allan Houston1,9822020/04/1971--1996200518,53,12,5--
Latrell Sprewell1,962 e 3808/09/1970--1998200317,94,13,8--
Amar'e Stoudemire2,084 e 5116/11/1982--2010201517,36,71,3--
Carmelo Anthony2,033 e 4729/05/1984--2011201724,76,93,2--
* por partida, defendendo a franquia / ** defendendo a franquia

voltar ao topo da página ↑

Rivalidades

Boston Celtics

New York Knicks, Boston Celtics e Golden State Warriors são consideradas as três franquias mais tradicionais da NBA, pois são as únicas em atividade que fizeram parte da temporada 1946-47 da BAA, a primeira da liga que deu origem à NBA. Mas como o Knicks e o Celtics nunca sofreram nenhum tipo de mudança, seja de nome ou de sede, ao contrário do Warriors, as duas franquias de certa forma se consideram o primeiro e último refúgio da tradição do basquete norte-americano. Isso já seria suficiente para justificar a rivalidade que existe entre as equipes, mas ainda há outros ingredientes.

Knicks e Boston sempre disputaram a mesma divisão e a mesma conferência, o que garantiu a realização do número máximo de partidas entre as franquias na temporada regular. Como resultado, temos que o jogo mais vezes realizado em toda a história da NBA é justamente New York Knicks x Boston Celtics, com larga vantagem para a equipe de Massachusetts (281 vitórias contra apenas 178 do Knicks, até o final da temporada 2014-15).

Já na pós-temporada existe equilíbrio entre as franquias. Foram 14 séries de playoffs disputadas, com cada equipe sendo eliminada pelo adversário sete vezes, totalizando 34 vitórias do Boston Celtics e 31 do New York Knicks. No último embate, nos playoffs de 2013, deu Knicks: 4 a 2.

Los Angeles Lakers

O New York Knicks chegou a oito finais da NBA em toda a sua história, mas só foi campeão duas vezes, o que representa um aproveitamento bem fraquinho, de somente 25%. E o time que mais vezes derrotou o Knicks em finais foi o Lakers, duas vezes quando ainda tinha sede em Minneapolis (1952 e 1953), e uma quando já estava instalado em Los Angeles (1972). Por outro lado, os dois únicos títulos do Knicks foram conquistados justamente sobre o Lakers em 1970 e 1973. Há mais de 40 anos os rivais não se encontram na pós-temporada, o que só pode acontecer na disputa de uma final, e pelo desempenho de ambas nas últimas temporadas aparentemente um novo confronto não acontecerá tão cedo.

Brooklyn Nets

O maior rival do Brooklyn Nets, sem sombra de dúvida, é o New York Knicks, apesar das duas equipes só terem se cruzado em disputas de playoffs três vezes (o Knicks eliminou o Nets em duas dessas oportunidades). A rivalidade entre as franquias é muito mais territorial e de bastidores do que esportiva e vem de longa data, desde quando o então New York Nets, até 1976 uma equipe integrante da ABA, começou a negociar sua migração para a NBA. O corpo diretivo da liga determinou que a franquia deveria pagar uma multa diretamente ao New York Knicks no valor de US$ 4,8 milhões, entendendo que o Knicks, um dos fundadores da NBA, merecia receber uma indenização por passar a ter um concorrente na mesma cidade.

O problema é que o Nets já tinha que pagar à própria NBA o valor de US$ 3,2 milhões para ingressar na liga (comparando os valores, fica evidente que a indenização exigida em favor do Knicks foi abusiva) e havia prometido um significativo aumento salarial à sua estrela, Julius Erving. Diante do impasse financeiro e temendo ficar no limbo caso não aderisse à NBA, o Nets foi obrigado a se desfazer de Dr. J, vendido ao Philadelphia 76ers por US$ 3 milhões, para fazer frente a tais despesas. Ou seja, além de descapitalizar o rival, o Knicks ainda conseguiu fazê-lo perder um dos melhores jogadores que já praticaram o esporte, tornando o início da vida do Nets na liga muito mais difícil.

Indiana Pacers

Desde a temporada 1979-80 Indiana Pacers e New York Knicks disputam a Conferência Leste, sendo a equipe de Nova Iorque o adversário que o Pacers mais enfrentou na pós-temporada. Foram sete disputas de séries de playoffs, com pequena vantagem para o Knicks, que eliminou o rival em quatro oportunidades. Sem dúvida alguma, os confrontos que mais acirraram a rivalidade entre as franquias ocorreram nos playoffs de 1994 e 1995.

1994

Em 1994, Indiana Pacers e New York Knicks decidiram a final da Conferência Leste num clima de bastante tensão dentro e fora da quadra. Knicks e Hawks tinham realizado a melhor campanha da conferência (57-25), enquanto o Pacers havia ficado em quinto lugar com uma campanha de 47 vitórias e 35 derrotas. Era a primeira vez que o Pacers chegava tão longe nos playoffs da NBA. Já o tradicional Knicks, duas vezes campeão da liga que ajudou a fundar, havia sido eliminado no ano anterior naquele mesmo estágio dos playoffs pelo Chicago Bulls de Michael Jordan. Mas, desta vez, Jordan estava “brincado” de ser jogador de baseball e o caminho do Knicks às finais parecia bem menos complicado.

O formato da série naquela época era 2-2-1-1-1, significando que a franquia de melhor campanha na temporada regular (Knicks) jogava as duas primeiras partidas em casa, depois duas fora e as três últimas de maneira alternada, decidindo também em casa. O New York Knicks confirmou seu mando de jogo nas primeiras partidas, fazendo 2 a 0 na série. Mas Indiana também venceu as duas partidas que fez em casa e empatou a série em 2 a 2.

Na quinta partida, o diretor de cinema Spike Lee, torcedor fanático do Knicks que, como de costume, assistia o jogo à beira da quadra, começou a provocar Reggie Miller na intenção de desestabilizá-lo emocionalmente. As provocações de Lee surtiram o efeito exatamente oposto ao pretendido e Miller não apenas desandou a matar bolas de todos os cantos da quadra (anotou 39 pontos na partida), como, após cada arremesso convertido, respondia diretamente às provocações do diretor. Resultado: o Pacers virou a série em pleno Madison Square Garden com uma vitória de 93 a 86. Boa parte da torcida e da imprensa nova-iorquina culpou Lee por “fornecer motivação extra” ao craque do Pacers, já naturalmente competitivo e motivado.

A série voltou para Indianapolis e bastava ao Pacers confirmar seu mando de jogo para chegar a sua primeira final da NBA. Reggie Miller foi novamente o cestinha da partida com 27 pontos, mas, sem Spike Lee para “motivá-lo”, sua pontaria nas bolas de três pontos estava bem pior do que no jogo anterior (2/7). Do lado do Knicks, cinco jogadores pontuaram em dois dígitos, com destaque para John Starks, que marcou 26 pontos, com cinco arremessos de 3 pontos convertidos em seis tentativas. Resultado: Knicks 98 x 91 Pacers e série empatada novamente.

A partida decisiva no MSG foi disputadíssima, como não poderia deixar de ser. Novamente cinco jogadores do Knicks pontuaram em dois dígitos, novamente Reggie Miller foi o cestinha da partida (25 pontos), e novamente a equipe de Manhattan saiu vencedora. Quem fez a diferença foi o pivô Patrick Ewing, que além de anotar 24 pontos, pegou 22 rebotes, deu 7 assistências e ainda distribuiu 5 tocos. Aliás, a partida, e consequentemente a série, foi decidida graças aos rebotes: 51 do Knicks contra apenas 29 do Pacers.

O Pacers voltou para Indiana com o vice-campeonato da Conferência Leste e o New York Knicks foi enfrentar o Houston Rockets de Hakeem Olajuwon, que venceu a série final por 4 partidas a 3.

1995

Nos playoffs da temporada seguinte os rivais se encontraram novamente, dessa vez na semifinal da Conferência Leste. Mais uma vez a vantagem nos mandos de partida era do New York Knicks, dono da melhor campanha na temporada regular (55-27 contra 52-30), e logo na primeira partida no Madison Square Garden ficou claro para todo mundo que a parada seria dura outra vez.

Faltavam 18,7 segundos para o término do jogo e o Knicks vencia por 105 a 99. A vaca teria deitado, como diz o Zé Boquinha? Longe disso. Reggie Miller acertou dois arremessos de três pontos em menos de seis segundos, empatando o placar em 105. John Starks sofreu uma falta e foi para a linha do lance livre onde, para desespero de Spike Lee e os milhares de torcedores do Knicks no MSG, errou os dois arremessos. Quando a bola entrou em jogo após o segundo arremesso desperdiçado, caiu nas mão de Patrick Ewing, mas o pivô também errou um arremesso que normalmente teria endereço certo. O novo rebote foi pego por quem? Reggie Miller, que sofreu uma falta logo em seguida e, ao contrário de Starks, converteu os dois lances livre garantindo a vitória do Pacers por 107 a 105.

Exceto pelo segundo jogo (vencido pelo New York Knicks por 96 a 77) e pelo quarto (vencido pelo Pacers por 98 a 84), todos os demais foram decididos nos detalhes, sempre com diferença de no máximo dois pontos no placar final. No sétimo e decisivo jogo da série, também realizado no MSG, o placar marcava 97 a 95 para o Pacers e a posse de bola era do Knicks faltando cinco segundo para o término da partida. Ewing novamente foi o “vilão” ao errar uma bandeja relativamente fácil, o que determinou a eliminação do time da casa e a revanche “com requintes de crueldade” do Pacers sobre o rival.

A equipe de Indianapolis decidiu a final da Conferência Leste contra o Orlando Magic de Shaquille O’Neal, Anfernee Hardaway e Horace Grant, que levou a melhor vencendo a série por 4 partidas a 3.

Miami Heat

O New York Knicks foi o primeiro rival que o Miami Heat fez na NBA depois das franquias se enfrentarem quatro vezes seguidas na pós-temporada entre 1997 e 2000. Todas as séries foram resolvidas pela diferença mínima, com vantagem para o time de Manhattan: 4 a 3 para o Heat na semifinal da Conferência Leste de 1997; 3 a 2 para o Knicks na primeira rodada dos playoffs de 1998 e 1999; e 4 a 3 para o Knicks na semifinal da Conferência Leste de 2000.

E para apimentar essa rivalidade havia um ingrediente especial. Depois de conquistar quatro campeonatos comandando o Los Angeles Lakers, em 1991 Pat Riley cruzou os EUA para dirigir o New York Knicks, gerando uma expectativa enorme na fanática torcida no Nova Iorque, que há quase duas décadas não via a franquia nem ao menos disputar uma final da NBA. Apesar de ter um elenco bastante competitivo em mãos, nas quatro temporadas em que esteve na Big Apple, Riley não deu aos nova-iorquinos o tão sonhado título. Conseguiu levar o Knicks à final da temporada 1993-94, mas foi derrotado pelo Houston Rockets por 4 a 3. Ao se desligar do Knicks em 1995, Pat Riley pegou o avião direto rumo à Flórida para assumir o comando do Miami Heat e dificultar a vida do New York Knicks nos playoffs.

Denver Nuggets

Apesar de disputarem conferências diferentes desde sempre e nunca terem se enfrentado na pós-temporada (o que só poderia ter ocorrido numa final da NBA), Denver NuggetsNew York Knicks são considerados rivais por conta de um episódio ocorrido em 16 de dezembro de 2006.

Nesta data, as equipes disputavam uma partida da temporada regular no Madison Square Garden quando, faltando pouco mais de um minuto para o fim do jogo, uma falta flagrante cometida pelo ala-armador Mardy Collins, do New York Knicks, sobre o ala J.R. Smith, que na época defendia o Nuggets, desencadeou uma briga generalizada envolvendo vários jogadores de ambos os times. Sete jogadores foram punidos pela NBA com suspensões e multa sobre o salário, mas Carmelo Anthony foi quem sofreu uma penalidade mais pesada: 15 partidas de suspensão e mais de US$ 640 mil em multa salarial. Isso porque quando a confusão estava começando a ser controlada, Anthony se aproximou de Collins e lhe deu um soco na cara, correndo em seguida para buscar a proteção de seus companheiros de equipe (vídeo). O clima entra as duas franquias nunca foi o mesmo depois deste incidente e a rivalidade ficou ainda mais acirrada a partir de 2011, quando justamente dois dos jogadores diretamente envolvidos na confusão, Carmelo Anthony e J.R. Smith, se transferiram do Denver Nuggets para o New York Knicks.

voltar ao topo da página ↑

As estatísticas dos jogadores mencionadas neste artigo foram obtidas no site Basketball Reference.