Search
  • Informação de bandeja sobre a NBA
  • por Rodrigo Enge
Search Menu

Os 68 pontos de Pete Maravich contra o New York Knicks em 1977

Maravich havia marcado 29 pontos na partida anterior contra o Knicks (imagem: Bettmann / Getty Images)

Maravich dobrou a meta: havia marcado 39 pontos na partida anterior contra o Knicks (imagem: Bettmann / Getty Images)

Há exatamente 40 anos, no dia 25 de fevereiro de 1977, “Pistol” Pete Maravich registrou a maior pontuação de sua carreira. Foram 68 pontos em uma vitória do New Orleans Jazz sobre o New York Knicks por 124 a 107. Desde quando Wilt Chamberlain marcou 100 pontos em 1962 nenhum outro jogador da NBA havia somado tantos pontos ao placar do que Maravich naquela noite.

Maravich merece muito mais reconhecimento do que recebe

Se tivesse atuado quando ainda estava saudável em franquias como Boston Celtics, Los Angeles Lakers ou New York Knicks, Pete Maravich muito provavelmente teria pelo menos um título da NBA e seria lembrado com mais frequência quando os grandes nomes na história da liga são mencionados.



Porém, teve o azar de começar a carreira no Atlanta Hawks justamente quando a franquia estava entrando num período de decadência. Em 1974 foi negociado com o New Orleans Jazz, franquia que tinha acabado de ser admitida na NBA e que só se tornou competitiva em meados dos anos 1980.

Chegou ao Boston Celtics em 1979 depois de já estar com problemas crônicos em ambos os joelhos. Entrou em quadra pelo time de Massachusetts somente em 26 partidas da temporada regular 1979-80, com performances muito abaixo das que estava acostumado a produzir.

Foi forçado a se aposentar em 1980 e passou a enfrentar sérios problemas com o álcool. Ironicamente, quando tinha conseguido controlar o vício, faleceu vítima de um ataque cardíaco fulminante enquanto jogava basquete com amigos em 5 de janeiro de 1988, aos 40 anos de idade.

A obra-prima de Maravich

É uma pena que não haja muitos registros em filme de Pistol Pete em ação. A qualidade da imagem no vídeo dos seus 68 pontos é baixa, ainda mais se comparada aos padrões atuais, mas dá perfeitamente para ver o talento absurdo de Maravich.

Seu ponto forte, sem dúvida, era o arremesso de média distância, mas tinha uma versatilidade impressionante. Fazia ganchos como pivôs, driblava com extrema habilidade, fazia assistências espetaculares e infiltrações no meio da defesa adversária.

E vale ressaltar que neste jogo contra o New York Knicks, que tinha jogadores como Bob McAdoo, Earl Monroe e Walt Frazier, Maravich foi eliminado da partida com 6 faltas, caso contrário certamente teria rompido a barreira dos 70 pontos.

Pistol Pete converteu 26 arremessos de quadra e 16 dos 19 lances livres que cobrou. Foi o cestinha da NBA naquela temporada com média de 31,1 pontos por partida.

Recorde de Maravich permanece intacto em New Orleans e no Jazz

Enquanto a franquia do Jazz ainda tinha sede em New Orleans ninguém ameaçou a marca de Pistol Pete. O único jogador com mais do que 50 pontos em uma partida pelo Jazz neste período além de Maravich foi Truck Robinson, que marcou 51 pontos contra o New Jersey Nets em 21 de novembro de 1978.

Quem chegou mais perto do recorde de Maravich na franquia do Utah Jazz foi Karl Malone, que marcou 61 pontos contra Milwaukee Bucks em 27 de janeiro de 1990 numa vitória (massacre) por 144 a 96.

Desde quando New Orleans voltou a ser sede de uma franquia da NBA, em 2002, a maior pontuação de um jogador foi registrada por Anthony Davis, com 59 pontos numa vitória do New Orleans Pelicans sobre o Detroit Pistons por 111 a 106, em 21 de fevereiro de 2016.

Tanto o Pelicans quanto o Jazz tem a camisa nº 7 de Pistol Pete hasteada no teto de suas arenas.

Datas e placares obtidos no site Basketball Reference
error: Se quiser utilizar este conteúdo por favor entre em contato.